Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana aponta Rio como melhor capital em gestão do lixo

ISLU 2019 faz comparação entre cidades brasileiras com mais de 250 mil habitantes na política de resíduos sólidos

Por O Dia

Rio - O Rio de Janeiro foi considerado a melhor capital brasileira na gestão do lixo, segundo o Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana (ISLU) 2019. A lista, divulgada pelo quarto ano seguido e formulado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Limpeza Urbana (Selur) e pela PwC Brasil (filial nacional de uma das maiores empresas de auditoria e consultoria do mundo), leva em conta os seguintes critérios em relação à política para resíduos sólidos: engajamento da população; sustentabilidade financeira; recuperação dos resíduos coletados; e impacto ambiental.

O Rio foi a primeira cidade a atender à Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), com o fechamento do Aterro de Gramacho e a inauguração do Centro de Tratamento de Resíduos CTR-Rio, em Seropédica, na Baixada Fluminense. A unidade reúne tecnologia de ponta. São recolhidas diariamente, em todo o município, 10 mil toneladas de resíduos sólidos - incluídos nessa conta, lixo domiciliar, público, RCC (resíduos de construção civil), grandes geradores e remoção gratuita.

De acordo com a Prefeitura do Rio, o município adotou ainda uma série de medidas sustentáveis que modificam para melhor o tratamento dos resíduos sólidos urbanos. 
Confira as medidas:
Rio Novo Olhar
Revitalização de áreas degradadas, pontos críticos de descarte irregular de lixo, praças e áreas de lazer a partir da parceria com diversos órgãos do Município e a iniciativa privada. É feito o reaproveitamento de troncos retirados de remoções de árvores em risco de queda para a construção de mobiliário urbano, bem como utilização de pneus, pallets (estrado de madeira, metal ou plástico utilizado para movimentação de cargas) e outros materiais que iriam para o lixo. Tudo isso é utilizado na confecção de brinquedos, jardins e lixeiras.
Renovação da frota com veículos elétricos 

Utilização de novos veículos para coletas domiciliar e seletiva, e remoção gratuita, mais moderna e ágil, com redução na emissão de barulho e monitoramento por GPS. Na coleta de resíduos biológicos em hospitais da rede municipal, estão sendo utilizados veículos 100% elétricos, ambientalmente sustentáveis, com 0% de emissão de gases de efeito estufa e baixíssimo ruído.

Centro de tratamento de resíduos 
Primeiro município do país a acabar com os lixões e construir o Centro de Tratamento de Resíduos (CTR-Rio), em Seropédica, considerado o mais moderno da América Latina.

Papeleiras e contêineres
A Comlurb lançou recentemente dois novos modelos de papeleiras e contêineres sustentáveis na Zona Norte, para teste, confeccionados na própria companhia. No Méier, são 51 papeleiras mais resistentes, chumbadas no chão para inibir o vandalismo e o roubo, feitas com chapas galvanizadas e emborrachadas, a partir de reutilização de sobras de madeira plástica. No Piscinão de Ramos, foram instalados 20 contêineres de 150 litros, produzidos a partir de reaproveitamento de pallets encontrados no lixo e da parte superior das papeleiras que já estão sem condições de uso, com produção artesanal.

Usina de biometanização
Construída no EcoParque do Caju, é a primeira Usina de Biometanização da América Latina, que está transformando resíduos orgânicos em Biogás para geração de energia, biocombustível ou condicionador de solos.

Aproveitamento de resto de poda
Conjunto de equipamentos para aproveitamento dos resíduos de poda doado pela cidade alemã de Colônia, que produz composto orgânico para ser aplicado no reflorestamento de encostas e combustível para fornos de cerâmica, substituindo a lenha convencional.

Campanhas de conscientiização
Promoção de campanhas de conscientização, em escolas municipais e eventos pela cidade, sobre o respeito aos horários de coleta e o descarte correto de resíduos.

SAIBA MAIS SOBRE O ISLU 2019

O ISLU 2019 mede a adesão dos municípios à Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Num levantamento entre cidades com mais de 250 mil habitantes, o Rio de Janeiro ficou atrás apenas de Santos (SP), Niterói (RJ) e Blumenau (SC). Todos esses municípios têm população pelo menos dez vezes menor do que a carioca, o que só reforça o merecido destaque dado à capital fluminense. Veja uma comparação entre os tamanhos das populações e as notas obtidas no Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana deste ano:

1)Santos: índice de 0,743 no ISLU / habitantes: 432.957

2)Niterói: índice de 0,742 / habitantes: 511.786

3)Blumenau: índice de 0,737 / habitantes: 352.460

4)Rio de Janeiro: índice de 0,733 (1º lugar entre as capitais) / habitantes: 6.688.927.

Comentários