Mais Lidas

Witzel retira mortes causadas por policiais de regras para concessão de gratificação

Decreto publicado nesta terça-feira no Diário Oficial mantém apenas os homicídios dolosos, latrocínios (roubos seguidos de morte) e lesões corporais seguidas de morte entre as metas de redução de letalidade violenta

Por O Dia

Governador Wilson Witzel
Governador Wilson Witzel -
Rio - O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, publicou nesta terça-feira um decreto que modifica as regras para concessão de gratificação a policiais por redução de indicadores de criminalidade no Rio de Janeiro. Com a mudança no texto, não há mais a necessidade de se reduzir as mortes provocadas pela polícia para que a gratificação seja recebida.
O novo decreto deixa de considerar a redução dos homicídios decorrentes de intervenção policial como uma meta estratégica para a concessão da gratificação. Originalmente, a diminuição das mortes cometidas por policiais em uma cesta de indicadores.

O decreto mantém apenas os homicídios dolosos, latrocínios (roubos seguidos de morte) e lesões corporais seguidas de morte entre as metas de redução de letalidade violenta.

O novo decreto foi publicado menos de uma semana depois da morte da menina Ágatha Félix, de oito anos, durante uma operação policial no Complexo do Alemão, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro, na última sexta-feira (24). A Polícia Civil investiga se o tiro foi disparado por policiais militares e se havia confronto no momento do disparo.

Além de retirar os homicídios decorrentes de intervenção policial do texto, o novo decreto inclui a redução do roubo de cargas como meta, ao lado dos roubos de veículos e roubos de rua.
Nos oito primeiros meses deste ano, o número de mortes causadas por policiais chegou ao maior patamar desde 1998, ano de início da série histórica do Instituto de Segurança Pública.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários