Jeans de Gracyanne Barbosa prometem turbinar o visual

Fisiculturista promete: empinada vale até para quem não é popozuda

Por *Rachel Siston

Na foto,Gabriela França (esq), Natália Pires (branco) e Quely Ribeiro
Na foto,Gabriela França (esq), Natália Pires (branco) e Quely Ribeiro -

Rio - Verão chegando, a mulherada agora tem no jeans um novo aliado para aquela turbinada no visual. A linha de calças e short da modelo e fisiculturista Gracyane Barbosa promete aquela empinada até mesmo para quem não é popozuda. A musa lançou sua linha esta semana, em Madureira, Zona Norte do Rio.

No Instagram, Gracyane deu o recado: "Pra quem quer arrasar nesse verão, usar aquele jeans que deixa o bumbum modelado e na nuca, essa é a minha super dica", escreveu. A marca oferece calças e short nos tamanhos 34 ao 48. A estilista Jaciara Rodrigues, explica que as peças contam com enchimento discreto que valoriza diferentes biotipos.

"É uma modelagem que se encaixa desde a mulher magrinha até a que tem mais coxa, mais bunda. A gente se preocupou bastante com o bojo, que é removível, e ele já foi elaborado para ficar o mais natural possível no corpo. O corte em si, até sem o bojo, já valoriza muito. Quem colocar no corpo não vai querer outra coisa", garantiu a estilista.

Interessadas em desfilar por aí com bumbum empinado precisam desembolsar R$ 84,90 pelas calças e R$ 70,90 pelo short.

Calça da Gang

Os jeans já prometiam milagres nos anos 2.000, com as calças da Gang. Febre entre as cariocas, a Furacão 2000 lançou o funk "Calça da Gang", de Pedro Marins DJ e DJ Saddam. "Calça da Gang toda a mulher quer, uns R$ 200 pra deixar a bunda em pé'. Os jeans stretch da Gang tinha modelagem especial, agradando também as famosas, como a modelo Gisele Bundchen, a socialite Paris Hilton e a cantora Britney Spears. Logo, a peça passou a ser copiada, o que originou o funk 'Etiquetinha" do Mc Mascote. "Calça da Gang tem que ter etiquetinha, se tiver etiquetão foi comprada na feirinha".

Resultado garantido: novidade já caiu no gosto da mulherada

A coleção mal chegou às vitrines e já se tornou sensação. A estudante Natália Pires, de 24 anos, não acreditava na promessa da marca. Depois de experimentar, mudou de opinião. "Ficou perfeito, e é bem natural. Vou levar o short para ficar sempre com o bumbum lá no alto, que é o que toda mulher quer", brincou.

As amigas Gabriela França, 20, e Quely Ribeiro, 22, compraram uma calça e um short cada. "Eu amei, comprei um de cada. Eu me visto para me sentir linda e ficar bem comigo mesma, e essas roupas me deixaram maravilhosa, a autoestima vai lá em cima", declarou Gabriela. "Vai ter gente criticando, falando que é exagero, mas o importante é a gente gostar. Se eu gostar e ficar feliz com o resultado, vou usar mesmo", completou Quely

*Estagiária sob supervisão de Bete Nogueira

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro