Bolsonaro diz que não tinha motivo para matar ninguém e ataca Witzel

Presidente fez transmissão ao vivo para comentar reportagem sobre caso Marielle Franco

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Ataques do presidente ao delegado responsável pelas investigações desagradou as entidades
Ataques do presidente ao delegado responsável pelas investigações desagradou as entidades -
Arábia Saudita - O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou, na noite desta terça-feira, em transmissão ao vivo pelo Facebook, que não deve nada a ninguém e que "não tinha motivo nenhum para matar quem quer que seja no Rio de Janeiro". Bolsonaro usou a live para responder à reportagem do "Jornal Nacional" (TV Globo), exibida pouco antes, que afirmou que um suspeito da morte da vereadora Marielle Franco (Psol) visitou o condomínio onde ele mora na Barra da Tijuca no dia do crime. "Nós vamos resistir, a verdade está ao meu lado", afirmou o presidente.

Ainda na live, realizada em Riad, na Arábia Saudita, onde está em viagem oficial, Bolsonaro atacou o governador do Rio, Wilson Witzel (PSC). O presidente acusou o antigo aliado de ter vazado o inquérito sobre Marielle, que "está em segredo de Justiça". Bolsonaro disse que Witzel quer "destruir" a sua família para "chegar à Presidência da República". "Por que essa sede pelo poder, senhor governador Witzel?", questionou.

Durante toda a transmissão, realizada durante a madrugada saudita, Bolsonaro mostrou-se bastante irritado, falou em tom exaltado e conteve o choro ao menos uma vez. Ele disse estar à disposição para falar com a polícia na investigação sobre a morte de Marielle. "Eu gostaria muito de falar neste processo, conversar com esse delegado", disse.
Bolsonaro afirmou que, "pelo que tudo indica", o processo sobre a morte de Marielle está "bichado" e pediu ao Conselho Nacional do Ministério Público que "supervisione o processo".

O presidente disse que estava na Câmara no dia em que o suspeito foi ao condomínio, informação também divulgada pela reportagem do JN.
Ele também reclamou que seus filhos estão sofrendo por causa de investigações. "Vocês não têm como me pegar e ficam inventando patifaria", reagiu, enfático. "Eu seguro a onda, tenho uma tremenda responsabilidade", disse.

Na live, o presidente disse ainda querer saber quem mandou matá-lo, em referência à facada da qual foi vítima durante a campanha presidencial, em Juiz de Fora (MG). O autor do atentado, Adélio Bispo, foi declarado inimputável pela Justiça.
GLOBO

Durante a transmissão, Bolsonaro afirmou que não irá "perseguir" a Globo no processo de renovação da concessão da TV, em 2022. No entanto, disse que o processo tem de "estar limpo". "Se não estiver limpo, legal, não tem renovação da concessão de vocês (Globo) e de TV nenhuma", disse.

Um pouco depois do fim da transmissão, Bolsonaro reiterou as declarações em entrevista ao Jornal da Record, da RecordTV.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários