PMs que extorquiam comerciantes são presos em operação da Polícia Civil

Agentes são do setor de inteligência da Polícia Militar e se passavam por policiais civis

Por RAI AQUINO e THUANY DOSSARES

Os presos estão sendo levados para a sede da Polícia Civil, na Lapa
Os presos estão sendo levados para a sede da Polícia Civil, na Lapa -
Rio - Cinco PMs suspeitos de participarem de um esquema de extorsão de comerciantes de diversas partes do estado foram presos, na manhã desta sexta-feira. As prisões aconteceram durante uma operação da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM).
Dois policiais militares alvos da ação, que também teve o cumprimento de 14 mandados de busca e apreensão, estão foragidos. Eles continuam sendo procurados.
Os alvos da operação:
1. Sargento Guttemberg Dantas da Silva - PRESO

2. Sargento Roberto Campos Machado - PRESO

3. Cabo Nacle de Souza Oliveira - PRESO

4. Cabo Jefferson Rodrigues Batista - PRESO

5. Ivan Marques Cunha - PRESO

6. Cabo Leslie Cristina Duarte Rocha - FORAGIDO
7. Tenente Victor Magnano Mangia - FORAGIDO
Os PMs foram levados para a sede da Polícia Civil, na Lapa. Todos vão responder pelos crimes de extorsão, concussão, organização criminosa e roubo qualificado.
Inicialmente, havia a informação de que todos os alvos da operação haviam sido presos. No entanto, a Polícia Civil fez a correção posteriormente.
PMS DO SETOR DE INTELIGÊNCIA
Durante as investigações do caso, que duraram dois meses, a polícia descobriu que os envolvidos no esquema se passavam por agentes da DRCPIM para praticar os crimes. Todos trabalham no setor de inteligência da Polícia Militar.
Os alvos dos PMs eram comerciantes de várias partes do estado, mas a grande maioria deles da capital. Durante as extorsões, os policiais também pegavam vários produtos dos estabelecimentos.
Ao longo do inquérito policial, várias vítimas prestaram depoimento e ajudaram na identificação dos criminosos.
A Corregedoria da PM participou da ação. Em nota, a corporação disse que repudia, "com veemência", condutas criminosas realizadas por seus integrantes.
"É interesse da Polícia Militar identificar e expurgar policiais que manchem a honra da Corporação. A Corregedoria Geral da Polícia Militar acompanha toda a ação e tomará as medidas cabíveis pelas condutas dos envolvidos no caso", a secretaria informou.

Comentários