Funcionários da Viação Acari se reúnem com a empresa para decidir rumos de greve

Motoristas, cobradores, fiscais e profissionais do setor administrativo da empresa cobram o pagamento de salários e 13º atrasados

Por O Dia

Funcionários estão em greve desta o início desta quinta-feira
Funcionários estão em greve desta o início desta quinta-feira -
Rio - Funcionários da Viação Acari vão se reunir com a companhia, na manhã desta sexta-feira, para tentar regularizar o pagamento de salários e do 13º atrasados. Por causa do atraso de dois meses do salário e do último 13º, motoristas, cobradores, fiscais e profissionais do setor administrativo da empresa iniciaram uma greve nesta quinta-feira.
Sindicato dos Rodoviários Rio (Sintraturb) disse que, na tarde de ontem, entrou com uma ação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) pedindo a penhora da arrecadação dos consórcios Internorte e Transcarioca e da viação para que os pagamentos atrasados sejam regularizados em até 72h.
"Essa situação já vem se arrastando há cerca de dois meses, culminando agora com a paralisação dos profissionais da categoria. A situação do transporte público está cada vez maia caótica. Onze empresas já fecharam as portas e esse número ainda pode aumentar com a situação precária da Pégaso, Paranapuan e Vila Isabel. O transporte público está abandonado. Até onde vai essa crise?", indagou o vice-presidente do Sintraturb, José Carlos Sacramento.
De acordo com o sindicato, as cestas básicas dos funcionários estão em dia, mas o pagamento do salário é dividido em quatro parcelas todo mês. A manutenção dessa situação inviabilizaria qualquer tipo de negociação.
"Não queremos prejudicar o usuário, mas infelizmente com a falta de responsabilidade por parte da direção da empresa e do próprio consórcio, ele acaba pagando a conta", lamentou Sacramento.
A Viação Acari é responsável por oito linhas, que trafegam pelos consórcios Internorte e Transcarioca. A empresa opera trajetos a partir de Marechal Hermes, Rocha Miranda, Madureira, Abolição e Cascadura; são eles!
254 (Madureira x Candelária)
277 (Rocha Miranda x Candelária)
456 (Norte Shopping x Copacabana)
650 (Marechal Hermes x Engenho Novo)
667 (Madureira x Méier)
686 (Fazenda da Bica x Madureira)
457 (Abolição x Copacabana)
607 (Cascadura X Rio Comprido)
Procurada pelo DIA, a Acari informou que continua buscando medidas emergenciais para minimizar os efeitos da paralisação. A empresa disse estar negociando a regularização dos pagamentos que estão em atraso para normalizar a operação da linhas, dizendo que a 457 está funcionando.
"A Acari ressalta que a paralisação dos colaboradores é reflexo da maior crise enfrentada pelas empresas de ônibus do Rio de Janeiro. A empresa vem sendo impactada pela redução no número de passageiros transportados e pelo desequilíbrio tarifário", a companhia acrescentou, em nota.
Já a Secretaria Municipal de Transportes disse que já acionou o consórcio responsável pela empresa para que tome as medidas necessárias previstas no contrato e reforçou a fiscalização.
"Vale lembrar que o pagamento de salários e benefícios é uma obrigação da empresa com seus funcionários", a pasta acrescentou, em nota.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Funcionários estão em greve desta o início desta quinta-feira Reprodução / Internet
Funcionários estão em greve desta o início desta quinta-feira Reprodução / Internet
Reunião acontece na manhã desta sexta-feira Divulgação / Sintratub

Comentários