Cabo da PM é morto a tiros por criminosos em moto

O policial Leonardo Pinho e outro colega foram abordar dois homens em uma moto quando um deles atirou. Um dos criminosos, Marcos Camilo da Silva, apontado como chefe do tráfico no bairro Padre Josimo, em Volta Redonda, também morreu no confronto

Por O Dia

Cabo da PM Leonardo Pinho morreu ao abordar criminosos em uma moto em Volta Redonda
Cabo da PM Leonardo Pinho morreu ao abordar criminosos em uma moto em Volta Redonda -
Rio - Um PM morreu durante a troca de tiros com criminosos em Volta Redonda, no Norte fluminense, na madrugada desta quarta-feira. O policial Leonardo Pinho da Silva, 29 anos, e outro colega do 28ºBPM (Volta Redonda) foram abordar dois homens em uma moto quando um deles atirou. Ele é o quinto policial militar morto em 2020. 
Houve reação e um dos criminosos acabou baleado, morrendo no local. Ele foi identificado como Marcos Camilo da Silva, apontado como chefe do tráfico no bairro Padre Josimo, onde aconteceu o crime. Seu comparsa conseguiu fugir. Duas pistolas foram apreendidas.
O cabo Leonardo Pinho chegou a ser socorrido, mas morreu ainda na viatura. Seu companheiro de trabalho ficou em estado de choque. 
Pinho estava na Polícia Militar desde 2011 e estava noivo. Seu velório acontecerá hoje, às 17h, no Cemitério Riachuelo, no bairro Esplanada do Cruzeiro, em Valença, onde o corpo será enterrado.
Cabo também morto em ataque na Baixada; Witzel decreta luto oficial
Na Baixada Fluminense, um outro caso da PM morreu em um ataque de bandidos na Favela do Dique, em São João de Meriti, no último domingo. Leandro Augusto Correa, de 37 anos, foi atacadopor volta das 21h, na esquina da Rua Tucão com a Recife, quando uma equipe do Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 21º BPM (São João de Meriti) estava na região.
A Polícia Militar disse que o cabo estava na corporação desde 2001 e deixa esposa e dois filhos. O governador do Rio, Wilson Witzel, decretou na segunda-feira luto oficial de três dias pela morte do PM. 
"Infelizmente, tivemos que sepultar mais um policial militar que morreu no exercício de suas funções. Sabemos das dificuldades de enfrentar o crime organizado, 2019 foi um ano em que reduzimos sensivelmente a criminalidade, para que cada vez menos tenhamos que ver mortes como a do cabo Leandro Augusto Corrêa, que honrou a farda defendendo a sociedade. Quero prestar minha solidariedade à família e a toda a Polícia Militar nesse momento doloroso", disse em nota.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários