Morador é morto por bala perdida durante confronto na Vila Cruzeiro

Policiais da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) fazem operação desde a madrugada na comunidade e no Parque Proletário, ambas do Complexo da Penha. Dois homens foram presos

Por Adriano Araujo e *Luisa Bertola

Samuel Menezes da Conceição, 47 anos, era presbítero da Assembleia de Deus - Ministério Transformando Vidas, em Olaria
Samuel Menezes da Conceição, 47 anos, era presbítero da Assembleia de Deus - Ministério Transformando Vidas, em Olaria -
Rio - Um morador foi morto por uma bala perdida na Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, na Zona Norte do Rio, na manhã desta quarta-feira. Samuel Menezes da Conceição, 47 anos, foi atingido na cabeça durante um tiroteio na comunidade. Policiais da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) fazem operação desde a madrugada no conjunto de favelas
As circunstâncias da morte de Samuel, que era presbítero da Assembleia de Deus - Ministério Transformando Vidas, em Olaria, ainda são desconhecidas. Em nota, a PM se limitou a dizer que, "pouco depois, uma equipe da CPP esteve no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, e constatou a entrada de uma pessoa ferida por disparo de arma de fogo".

Galeria de Fotos

Samuel Menezes era presbítero de igreja evangélica e morreu com um tiro na cabeça na Vila Cruzeiro WhatsApp O DIA (98762-8248)
Samuel Menezes da Conceição deixa esposa e quatro filhos Reprodução
Samuel Menezes da Conceição, 47 anos, era presbítero da Assembleia de Deus - Ministério Transformando Vidas, em Olaria Reprodução Facebook
Apesar da PM relatar que a vítima deu entrada "ferida" na unidade de saúde, fotos que circulam nas redes sociais mostram a vítima aparentemente morta na rua da comunidade, na localidade conhecida como Rua da Feirinha. Samuel já chegou morto ao hospital.
"Está morto do outro lado da calçada, com tiro na cabeça, sangrando. Está lá estendido no chão, o pobre com a bolsa na mão, aí Jesus. Ele morreu na hora, ele está morto", narra, desesperada, uma moradora da comunidade.  
Até 14h, de acordo com a Secretaria da Polícia Civil, o caso não tinha sido registrado em nenhuma delegacia. A ação da PM teve dois suspeitos presos e uma quantidade de drogas não contabilizadas apreendidas.
A igreja evangélica a qual Samuel era associado lamentou a sua morte. "O ministério transformando vidas lamenta a perda do nosso presbítero Samuel. Aos familiares quero que saibam que estamos a disposição para ajuda los no que for necessário . Estaremos em oração pedindo a Deus força e consolo para todos (sic)", diz o texto, publicado em rede social. Samuel deixa esposa e quatro filhos.
Denúncias de abusos de policiais
Relatos que circulam nas redes sociais dão conta que policiais estão invadindo as casas de moradores. A Polícia Militar disse "estar atenta aos relatos e imagens" e que denunciam supostos excessos cometidos por policiais durante a operação.
"A corporação não compactua com desvios de conduta de seus integrantes e, caso sejam comprovados, serão devidamente responsabilizados. Os canais da Corregedoria são : Aplicativo WhatsApp pelo número (21) 97598-4593, por telefone pelo número (21) 2725-9098 ou ainda pelo e-mail denuncia@cintpm.rj.gov.br", disse em nota.
De acordo com moradores, a troca de tiros intensa acontece desde da madrugada. Segundo o aplicativo Onde Tem Tiroteio RJ (OTT-RJ), houve registro de tiroteio e barulhos de bomba nas localidades Cascata, B13, Merendiba, Sacopã, Rua 8, rua A e Terrinha.
Também há relato de troca de tiros na região do Morro do Sereno e Morros da Caixa d'Água, que fazem parte do Complexo da Penha. Até o momento, não há registro de prisões ou apreensões.
De acordo com a assessoria da Light, equipamentos foram perfurados por disparos e cerca de 1.400 moradores da comunidade estão sem luz. Uma equipe que estava na Vila Cruzeiro teve que sair do local quando o confronto começou, mas não houve feridos.
Parte do Complexo do Alemão também sem luz
Os moradores da comunidade do Complexo do Alemão também tem sofrido com a intensa troca de tiros na comunidade desde domingo por conta de guerra entre facções rivais. Com isso, algumas localidades do conjunto de favelas também está sem luz.
A companhia de luz informou que também há necessidade de reparos na região do Alemão e no Morro do Adeus de equipamentos atingidos por tiros, mas que os confrontos estão impedindo o trabalho das equipes. Pelo menos 30 imóveis estão sem energia.
* Luisa Bertola é estagiária
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários