Vigilância Sanitária encontra bactérias em água mineral e suspende venda do produto

Análises feitas no galão de 20 litros da água Ipanema detectaram a presença de coliformes e pseudomonas

Por O Dia

Análises foram feitas no Laboratório Municipal de Saúde Pública
Análises foram feitas no Laboratório Municipal de Saúde Pública -
Rio - A Vigilância Sanitária Municipal determinou, nesta quarta-feira, a suspensão da distribuição e comercialização do galão de 20 litros da água Ipanema. A medida foi adotada após a entidade encontrar coliformes totais e pseudomonas em análises feitas no produto pelo Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp). O resultado indica falta adequada de higiene dos galões e a consequente contaminação do produto.
"Essas bactérias são oportunistas e podem causar infecções em pessoas com baixa resistência. Por isso, como medida de prevenção aos riscos à saúde do consumidor, adotamos a interdição cautelar até que todo o processo seja encerrado", explica a médica-veterinária Aline Borges, coordenadora de Alimentos da Vigilância do Rio.
A inspeção na marca foi iniciada na quinta-feira da semana passada, a partir de denúncia recebida pela Central 1746. Os consumidores relataram que galões de 20 litros da marca comprados em um depósito de Botafogo, na Zona Sul Rio, estavam com a água apresentando aspecto amarelado.
Em visita ao local, os agentes apreenderam 15 unidades do produto. A entidade informou que cinco galões foram mantidos no estabelecimento para a contraprova e dez levados para o laboratório, que fica em São Cristóvão, no Complexo Zona Norte da Vigilância

Galeria de Fotos

Análises foram feitas no Laboratório Municipal de Saúde Pública Divulgação / Vigilância Sanitária
Análises foram feitas no Laboratório Municipal de Saúde Pública Divulgação / Vigilância Sanitária
Contaminação foi encontrada em galões de 20 litros da água Divulgação / Ipanema Água Mineral Natural
NOTIFICAÇÃO
Com a suspensão do produto, caso os fiscais da Vigilância encontrem algum deles sendo comercializados irão coletar amostras para novas análises.
A Aqua Glass Indústria e Comércio de Água Mineral Ltda, que fica em Rio Bonito, na Região Metropolitana do estado, e é responsável pela produção e distribuição do produto, será notificada ainda hoje. A partir da notificação, a empresa terá 10 dias para apresentar sua defesa e uma perícia comprovando a qualidade da água.
"O consumidor deve sempre estar atento às condições dos produtos. O galão, por exemplo, é uma embalagem reutilizada com validade de três anos, e por isso precisa passar por um processo de controle de qualidade e higienização, antes do envase da água para a comercialização. É muito importante contarmos com a colaboração da população registrando qualquer suspeita ou constatação de irregularidade na Central 1746", reforça a coordenadora de Alimentos da Vigilância Sanitária do Rio.

CUIDADOS
Diante do caso, a Vigilância Sanitária Municipal aproveita para dar algumas dicas de cuidados para a comercialização desse tipo de produto; são elas:

. O produto deve ser armazenado em local fresco e ventilado. Se a luz solar incidir diretamente sobre o produto, pode causar alteração na coloração, influenciando na qualidade do material de embalagem e podendo facilitar a contaminação por agente externo
. A água não pode ser armazenada perto de produtos como detergentes e outros usados para a higienização domiciliar (os domissanitários) ou em locais que comercializem produtos voláteis, como postos de gasolina
. Nos estabelecimentos comerciais, o produto deve estar exposto ou armazenado sobre prateleiras ou pallets, nunca sobre o piso
. O consumidor deve sempre verificar a rotulagem e o prazo de validade
. Se o consumidor identificar sabor ou odor na água adquirida, deve fazer o registro na Central 1746 e guardar a embalagem com o produto para que a Vigilância possa rastrear o fornecedor e os lotes
Procurada pelo DIA, a Aqua Glass Indústria e Comércio de Água Mineral Ltda disse, em nota, que a acusação da Vigilância Sanitária "é leviana, feita de forma deliberada e arbitrária, sem oportunizar a mais mínima contra prova técnica necessária para afirmar tão graves acusações".
A empresa alegou também que possui todas as licenças dos órgãos governamentais competentes e possui uma água com alto padrão de qualidade.

"Neste momento os agentes da Vigilância Sanitária de Rio Bonito estão na empresa colhendo amostras para apurar a qualidade da água em razão do ocorrido, e em breve emitirão laudo técnico, que disponibilizaremos a V.Sas.
Escalaremos que a empresa não está interditada, jamais esteve e toda essa acusação está sendo feita por uma única reclamação, de um único consumidor, já que jamais houve outras reclamações da qualidade da água produzida pela Ipanema", a empresa acrescentou.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários