Esposa teve que amarrar turista lituano morto em Paraty, diz delegado

Polícia trabalha com a hipótese de motivação sexual no crime que teve estupro, assassinato e roubo na Praia do Sono

Por RAI AQUINO

Adam tinha 37 anos. Ele e a esposa chegaram ao Sono no domingo
Adam tinha 37 anos. Ele e a esposa chegaram ao Sono no domingo -
Rio - A 167ª DP (Paraty) trabalha com a hipótese de motivação sexual no caso do assassinato do turista lituano Adam Zindul, de 37 anos, na madrugada desta quinta-feira, na Praia do Sono. De acordo com o delegado Marcelo Russo, titular da distrital da Região da Costa Verde, apesar de o suspeito preso pelo crime ter levado dinheiro da carteira da vítima fatal, o roubo só aconteceu depois da esposa dele ter sido estuprada.
"Pra mim foi um crime de cunho sexual, que acabou desencadeando na morte da vítima. Apesar de o suspeito ter levado um bem material, esse não foi o objetivo primordial do crime", acredita o delegado.
Russo conta que o homem, também de 37 anos, invadiu a casa que Adam e a mulher, que é de São Paulo e tem 35 anos, alugaram e mandou ela amarrar o marido. Depois que ele a estuprou, ainda a golpeou com um pedaço de pau, fazendo com que ela ficasse desacordada.
"Ele estupra e depois pratica a morte. Tanto que a mulher não sabia até pouco tempo da morte dele", disse. "Ele deu duas ou três pauladas na cabeça dela, ela desacordou na cama e ele deve ter pensado que ela havia morrido e a abandonou".

Galeria de Fotos

Adam Zindul tinha 37 anos Arquivo Pessoal
Adam Zindul tinha 37 anos Arquivo Pessoal
Adam Zindul tinha 37 anos Arquivo Pessoal
Adam Zindul tinha 37 anos Arquivo Pessoal
Adam Zindul tinha 37 anos Arquivo Pessoal
Adam Zindul tinha 37 anos Arquivo Pessoal
Adam Zindul tinha 37 anos Arquivo Pessoal
NOVE DIAS NO BRASIL
Depois do crime, o homem continuou pela região, que só tem acesso de barco ou por trilha. Ele, que é do Centro de Paraty e vivia de bicos no Sono, foi levado por PMs do 33º BPM (Angra dos Reis) para a distrital. Já a mulher foi socorrida no Hospital Municipal Hugo Miranda, que fica no Centro Histórico. Ainda não há informações sobre o estado de saúde dela.
O corpo de Adam foi encontrado amarrado a uma cadeira, com um pano cobrindo sua cabeça e uma peça de roupa em volta de seu pescoço, e com sinais de tortura. O último carimbo brasileiro no passaporte do lituano foi de 29 de janeiro.
"Vamos ouvir a mulher ainda no hospital, pois nosso objetivo é resolver esse crime o mais rápido possível. Estamos procedendo todo o protocolo investigativo, com a realização de perícia no local", o delegado acrescenta.
CONSULADO
Procurado pelo DIA sobre o assassinato de Zindul, o Consulado da Lituânia no Brasil informou, em nota, que ainda não havia sido informado por autoridades brasileiras sobre a morte de cidadãos lituanos no país; confira a íntegra da nota:
Informamos que o Consulado Geral da República da Lituânia em São Paulo não recebeu nenhuma informação oficial de instituições brasileiras sobre o assassinato de cidadão lituano, portanto, não pode fazer comentários sobre o crime abaixo mencionado.
Uma vez recebidas as declarações oficiais sobre cidadãos lituanos falecidos, as representações lituanas no exterior informam instituições competentes na Lituânia, que têm o direito de notificar os parentes.
Outras ações das representações lituanas no exterior são tomadas de acordo com as solicitações dos familiares e os atos legais da República da Lituânia que regulam a prestação de assistência consular.
O Consulado Geral da Lituânia em São Paulo está entrando em contato com as autoridades policiais brasileiras competentes para receber confirmação oficial sobre o caso.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários