Chefe do tráfico de Arraial do Cabo morre dois dias depois de matar PM

Na ação, outros criminoso morreu e três foram presos

Por O Dia

O sargento Ricardo Oliveira dos Santos estava na PM desde 2002
O sargento Ricardo Oliveira dos Santos estava na PM desde 2002 -
Rio - Um homem apontado como o chefe do tráfico de uma favela de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos, identificado como Hemerson Silveira de Souza, foi morto, nesta sexta-feira, dois dias depois de matar um policial militar em Figueira. De acordo com equipes do 25º BPM (Cabo Frio), agentes faziam buscas no local desde quarta-feira para identificar o autor do assassinato do sargento Ricardo Oliveira dos Santos, de 40 anos. Segundo a corporação, o traficante foi morto durante confronto.
Ainda conforme a PM, durante as buscas na madrugada desta sexta-feira, equipes prenderam dois homens em uma van que iriam participar da tentativa de fuga de Hemerson. Depois de obterem novas informações, os militares foram para o bairro Bananeiras, em Araruama. Ao chegarem no local, os PMs afirmaram ter sido recebidos a tiros. Após o confronto, um criminoso foi preso e outros dois, entre eles Hemerson, morreram.
Ainda de acordo com os militares, nenhum agente ficou ferido. Foram apreendidas duas pistolas glock calibre .40mm e um revólver calibre .38mm. A ocorrência foi encaminhada para a delegacia da região.
O Disque-Denúncia chegou a oferecer R$ 5 mil para quem informasse o paradeiro do assassino do policial militar. Com a morte do sargento, chega a nove o número de PMs assassinados no Rio somente em 2020. A média é de pelo menos um por semana. 
O Disque-Denúncia chegou a oferecer R$ 5 mil para quem desse informações do autor do crime - Disque-Denúncia / Divulgação
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

O sargento Ricardo Oliveira dos Santos estava na PM desde 2002 Arquivo Pessoal
O Disque-Denúncia chegou a oferecer R$ 5 mil para quem desse informações do autor do crime Disque-Denúncia / Divulgação

Comentários