garotas do tatame

Projeto oferece lutas para mulheres. Elas também são preparadas para defesa pessoal

Por

'Lute como uma garota'. A frase, que surgiu de uma campanha publicitária, bem que poderia ser usada por qualquer uma das mulheres do Projeto #Vemcer, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Além de preparar as empoderadas para se protegerem através de aulas de defesa pessoal, o projeto oferece aulas gratuitas de Muay Thai, Kickboxing, Judô, Jiu Jitsu e Luta Livre.

Neste domingo, Dia Internacional das Mulheres, as garotas do tatame mostram que estão prontas para o enfrentamento, da vida e das lutas. O projeto #Vemcer, que foi fundado em 2017, promove a prática esportiva integrada à cidadania e à solidariedade. São atendidos cerca de mil alunos da Baixada Fluminense.

E foi por meio deste projeto que Ingrid da Silva, de 28, viu a sua vida se transformar. Depois de ter sido demitida, a ex-funcionária de um telemarketing começou a sofrer de ansiedade e a se isolar."Eu só ficava nas redes sociais, dentro de casa e abalada emocionalmente. Depois da Luta Livre, mudei espiritual e emocionalmente", contou.

Quem também se encontrou nas mesmas aulas foi a técnica de enfermagem Juliana da Silva, de 26. Ela conheceu o projeto quando levava o filho de oito anos para as aulas de luta. "Esse projeto me abraçou. Mas ainda há muito preconceito. Ao postar minhas fotos lutando, nas redes sociais, recebi comentários do tipo: 'Isso aí não é lugar de mulher'. Então, respondo dizendo que o lugar da mulher é onde ela quer estar", revelou.

Há três anos no projeto Letícia Costa, de 16, agora tem a companhia da mãe Natália Ancelme, de 32, que trabalha como babá. "No começo, minha mãe e meu pai não queriam que eu lutasse. Eles tinham medo que eu me machucasse. Hoje, os dois mudaram de pensamento. Quero fazer isso para toda a minha vida".

A mãe da adolescente, Natália, conta que, atualmente, seu marido assiste às aulas dela e que ambos treinam juntos em casa: "Nunca tinha feito qualquer esporte. Hoje, fico impaciente se falto a alguma aula", constatou Natália.

Além de subir ao tatame para aprender as diferentes modalidades de luta, segundo a presidente do #Vemcer, Tatiana Figueiredo, as mulheres têm aulas das técnicas de defesa do Empoderadas - projeto coordenado por Érica Paes, ex-lutadora de MMA e campeã mundial de Jiu-Jitsu. "O Empoderadas ensina mulheres a se protegerem da violência, em especial a doméstica. Em paralelo, fazemos ações de empoderamento feminino", explicou Tatiana.

Comentários