Desesperar, jamais: a palavra é recomeçar

Mulheres que perderam tudo na enchente do último fim de semana lutam pela reconquista

Por Anderson Justino

Cristiane de Oliveira acredita em mais uma vitória de vida: a reconstrução de tudo o que a chuva levou
Cristiane de Oliveira acredita em mais uma vitória de vida: a reconstrução de tudo o que a chuva levou -

O Dia Internacional da Mulher é uma data marcada pela luta pela igualdade de direitos civis e em favor do voto feminino. Em Realengo, Zona Oeste do Rio, o dia será registrado com muito trabalho. Mulheres que perderam tudo na enchente do último fim de semana mostram que, com luta e esforço, estão prontas para o recomeço. É como poderia ser o ditado: 'Depois da tempestade, vem a... luta'.

As lágrimas que hoje escorrem no rosto da doméstica Cristiane de Oliveira da Conceição ainda escodem um belo sorriso de quem sabe que um dia irá reconquistar tudo o que perdeu. Orgulhosa, diz que se inspira em uma placa que escolheu para colocar na entrada de sua residência.

"Viu o que está escrito ali? Ninguém vive mais do que uma vez! Então, a nossa vida é essa. Deus nos deu essa oportunidade de viver. Somos mulheres, somos fortes e vamos sair dessa de cabeça erguida".

Sua vizinha, a costureira Roberta Barroso de Souza, mostra o que restou de seu equipamento de trabalho: duas máquinas de costura que ainda estão tomadas pela lama. A costureira diz que está contando com a ajuda de amigos para entregar alguns pedidos que atrasaram.

"Agora precisamos retomar nossas vidas. É difícil, mas não impossível. Tenho uma família maravilhosa. A gente já passou por tantas coisas juntos, não vai ser isso que nos impedirá de crescer".

Mesmo sendo uma das vítimas da enchente, Karina Peçanha encontra forças para ajudar outras pessoas que precisam. "O meu ainda é o mínimo, tem pessoas que estão sofrendo muito mais. O que puder fazer, irei fazer".

Karina é dona de um pequeno comércio que vende açaí e sorvetes. Ela conta que se assustou ao ver todo o seu material boiando na água suja. "Foi algo assustador, nunca imaginei que passaria por isso. Apesar de tudo, precisamos erguer a cabeça e seguir caminhando".

Comentários