Casos suspeitos de coronavírus em comunidades do Rio são pelo menos 24

Segundo último levantamento da Secretaria Municipal de Saúde do Rio, Manguinhos possui mais pessoas em observação

Por HUGO PERRUSO

A pandemia do coronavírus avança nas comunidades, que são áreas de grande aglomeração e pouca - ou nenhuma - infraestrutura
A pandemia do coronavírus avança nas comunidades, que são áreas de grande aglomeração e pouca - ou nenhuma - infraestrutura -

O Rio de Janeiro contabilizou a terceira morte causada pelo coronavírus, em Petrópolis, e já são 119 pessoas infectadas em todo o estado, 99 na capital. E o avanço da doença entre os mais carentes começa a preocupar. Segundo levantamento da Secretaria Municipal de Saúde do Rio, com números da última quinta-feira, são pelo menos 24 casos suspeitos entre moradores de comunidades, sem confirmações ainda do Covid-19.

Manguinhos é onde há mais suspeitas, com seis, seguida por Jacarezinho e Rio das Pedras, ambas com cinco. Vilar Carioca tem duas. Em Vidigal, Rocinha, Mangueira, Cidade de Deus, Acari e Caju também há casos. E esse número deve aumentar quando forem atualizados pela prefeitura.

Para tentar conter o avanço do coronavírus nas comunidades, a Secretaria Municipal de Saúde diz, em nota, o que tem feito de ações:

"As unidades de Atenção Primária intensificaram as orientações para a população atendida: pedem que as pessoas evitem sair de casa e detalham a correta higienização pessoal e do ambiente. Agentes comunitários informam sobre o uso de água sanitária para a limpeza de superfícies, alertam a população para não compartilhar utensílios de uso pessoal e recomendam a destinação de um local da casa para o familiar com suspeita de coronavírus. Se houver apenas um cômodo, que os infectados permaneçam pelo menos a um metro de distância dos demais".

Comentários