Campanha com projetos socioesportivos vai ajudar comunidades do Rio

Objetivo é distribuir cartões alimentação e refeição para as famílias de 2.064 crianças atendidas pelos programas esportivos parceiros do IRB

Por André Arraes*

IRB com crianças filhas dos colaboradores e do projeto Sem Barreiras
IRB com crianças filhas dos colaboradores e do projeto Sem Barreiras -

A empresa do setor financeiro de resseguros, IRB Brasil RE, lançou uma campanha para ajudar as famílias de 2.064 crianças e adolescentes carentes de comunidades do Rio. A ação interna tem o objetivo de arrecadar doações financeiras dos funcionários e repassá-las para projetos socioesportivos parceiros da instituição. O dinheiro será usado na compra de cartões alimentação e refeição para as famílias dos alunos que ajudarão na compra de produtos essenciais. A empresa também irá doar uma quantia igual ao total arrecadado pelos projetos.

Os projetos socioesportivos Sem Barreiras e Escolinha de Vôlei, idealizados pela medalhista olímpica Adriana Samuel, e o Reação Escola Faixa Preta, da ONG Instituto Reação, criado pelo também medalhista Flavio Canto e de seu técnico Geraldo Bernardo, são ações que buscam ampliar o impacto social por meio da prática e profissionalização do esporte, são empreendimentos apoiados pela resseguradora. Juntas as iniciativas somam os mais de 2 mil jovens que receberão o benefício. A previsão é que no fim do mês ele esteja disponível para as famílias.

O projeto Sem Barreiras oferece judô, atletismo e vôlei em um só lugar, contempla aproximadamente 170 crianças e jovens de comunidades como São Carlos, Morro da Coroa, Morro da formiga, no Centro do Rio de Janeiro. Adriana Samuel está à frente do empreendimento em parceria com o IRB desde quando ele era apenas ideia. Ela ressalta a cooperação ainda mais importante durante a pandemia. "Há muitas famílias passando necessidades e o pessoal do IRB tem a sensibilidade de ajudar. Essa iniciativa de contribuir e potencializar o patrocínio que já existe, vai ajudar a diminuir os impactos dessa crise. A atleta acrescenta, falando da importância das ações sociais em sua vida . "Estar a frente desses projetos é minha melhor parte, me sinto muito feliz e realizada. Nós achamos que vamos ensinar e quem aprende é a gente".

O filho de Dannyelle Morgado, Guilherme Morgado, de dez anos, é morador da comunidade do São Carlos e faz vôlei e judô na ação socioesportiva. Segundo a mãe, o menino adora o projeto. "O esporte na vida dele foi uma benção, ele gosta e quase nunca falta. Eu fico ultra feliz porque se não fosse o projeto eu não teria condições de pagar. Lá ele tem disciplina e professores dedicados." Dannyelle comenta ainda que a doação vai ajudar a família e veio em um bom momento, pois como é manicure, a sua clientela diminuiu durante a pandemia.

De acordo com o presidente do IRB, Antonio Cassio as empresas devem ter um olhar voltado para uma sociedade mais justa e compreensiva . "É importante que as empresas se preocupem em melhorar a vida em sociedade e incentivem o engajamento dos colaboradores, principalmente neste momento tão crítico. Um dos pilares da nossa gestão de pessoas é aliá-la à responsabilidade social, e é dessa mistura que surge o voluntariado de nossos colaboradores. A prática da empatia numa empresa de serviços não somente cria cidadania, mas sobretudo profissionais mais eficientes", ressalta.

* Estagiário sob supervisão de Bete Nogueira

Comentários