Hospitais particulares chegam a cobrar R$ 5 mil para consulta na emergência

Com pandemia, algumas unidades hospitalares criaram o 'Pacote Covid' e aumentaram em até 900% os preços. Especialistas analisam a prática como abusiva

Por Bruna Fantti

Consulta de emergência no Hospital Ilha do Governador custa R$ 3 mil
Consulta de emergência no Hospital Ilha do Governador custa R$ 3 mil -
Rio -- Com a pandemia da Covid-19 alguns hospitais particulares chegaram a aumentar em 900% o preço da consulta em uma emergência. É o caso do Hospital Irajá, na Zona Norte, no qual uma consulta com o clínico geral passou de R$ 500 para R$ 5 mil. Uma recepcionista explicou o chamado ‘pacote Covid’.
“A consulta antes era esse valor mesmo (R$ 500). Como teve um aumento na demanda, a gente está com esse pacote fixo até acabar a Covid-19. É para todo mundo que procurara emergência, independentemente de estar com sintomas do coronavírus", disse a funcionária. Em seguida, explicou a forma de pagamento e os custos extras.
"Parcelamos em três vezes e ele dá direito aficar 6 horas no hospital. Se optar por ficar mais tempo, pode pagar mais R$ 5 mil e ficar 24 horas”, afirmou.
Outro local que implementou o ‘pacote Covid’ é o Hospital da Ilha do Governador,também na Zona Norte. A consulta, antes R$ 350, passou a R$ 3 mil (aumento de 757%). Um cartaz da unidade explica que o valor cobre “atendimento assistencial de médico e enfermagem, exame de imagem,materiais, medicamentos e equipamentos”. Oxigênio,muitas vezes necessário para pacientes com sintomas graves da Covid-19, não está incluído.
Assim como o Hospital Irajá,esse pacote dá direito a atendimento de seis horas. Se passar desse período, a cada seis horas será cobrado mais R$ 3 mil. Um dia no hospital, na emergência, totaliza R$ 12 mil. Até o fechamento desta edição,os hospitais não haviam se posicionado.
A outra unidade particular da Ilha, o Hospital São Bento,afirmou que, por ordem da direção, só passou a atender quem possui plano de saúde. 
"Não há justificativa", diz CNSaúde
O Presidente da Confederação Nacional de Saúde (CNSaúde), Breno Monteiro disse que não há justificativa para a cobrança: "Mesmo que todos os nossos insumos tenham aumentado, em alguns casos em 3.000%, não se justifica".
Para Jerson Carneiro (PhD em Tributação Internacional pela UCLM),  os casos podem ser alvo de denúncias. "A prática apresentada e utilizada pelos hospitais é totalmente abusiva, conforme a aplicação do Código de Defesa do Consumidor (CDC). (...)O CDC veda ao fornecedor exigir vantagens excessivas e elevar sem justa causa o preço ou serviço. Se configurado o aumento injustificado, serão aplicadas as devidas punições administrativas e criminais", disse.
Os preços dos pacotes particulares oferecidos nos hospitais Irajá e Ilha do Governador são superiores aos exigidos em unidades hospitalares de renome na Zona Sul,como o Hospital São Lucas, em Copacabana. Lá, o valor da consulta na emergência é R$ 500. Já no Hospital Samaritano,em Botafogo, o atendimento na emergência custa R$ 1 mil, mesmo valor anterior à pandemia, segundo a recepcionista.

Comentários