De março a abril ocorreram 69 mortes

Por

Levantamento da Rede de Observatórios da Segurança do Rio apontou que, após as medidas de isolamento social, em março, as incursões nas favelas diminuíram, mas voltaram a acontecer com mais frequência em abril e maio. De 15 de março a 19 de maio, ocorreram 209 operações, com 69 mortos. Entre 15 e 22 deste mês, 17 pessoas morreram em ações da PM e da Civil.

Um dos grupos sociais que se viu em meio ao tiroteio durante operação policial enquanto fazia distribuição de cestas básicas foi o Frente CDD. "Na favela, tiroteios não são episódios cotidianos. O doloroso foi estar no momento em que quebrávamos o isolamento em prol de outras vidas, que deveriam ser atendidas pelo Estado", reclamou Victor Andrade, do Frente CDD.

Em nota, a Polícia Civil informou que está de acordo com a determinação do governador. Já a Polícia Militar reforçou que, durante a pandemia, as lideranças comunitárias devem informar quando acontecerão ações sociais.

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro