Motivação seria política

Por

Wilson Witzel não perdeu tempo: logo acusou a Operação Placebo de ter motivação política, responsabilizando o presidente da República. Ex-aliado do governador, Jair Bolsonaro, depois de muita pressão, mexeu no comando da PF no Rio, nomeando Tácio Muzzi. Logo depois, a operação foi deflagrada.

Uma entrevista da deputada Carla Zambelli (PSL-SP) pôs mais lenha na fogueira. A aliada de Bolsonaro antecipou, um dia antes, que haveria operações contra governadores. Sua assessoria nega: "Foram informações já conhecidas e publicadas na mídia".

Comentários