Tomógrafo inaugurado em Rio das Pedras

Outras cinco comunidades da região receberam os aparelhos desde o início da pandemia. No Rio, já são 12

Por Danillo Pedrosa

O prefeito Marcelo Crivella foi responsável pela entrega do aparelho de tomografia em Rio de Pedras
O prefeito Marcelo Crivella foi responsável pela entrega do aparelho de tomografia em Rio de Pedras -

A Zona Oeste recebeu neste fim de semana o sétimo tomógrafo destinado a pacientes internados com covid-19. O Prefeito Marcelo Crivella foi o responsável pela entrega do equipamento na Clínica da Família Otto Alves de Carvalho, na comunidade de Rio das Pedras, em Jacarepaguá. Agora, já são 12 centros de imagens espalhados pelo Rio de Janeiro, com objetivo de agilizar o diagnóstico dos infectados pelo novo coronavírus.

Além do mais novo tomógrafo inaugurado, a região conta com aparelhos em outros seis bairros: Bangu, Campo Grande, Santa Cruz, Cidade de Deus e Recreio, além do que está em operação no Hospital de Campanha da Prefeitura, no Riocentro. Todos os locais também receberam aparelhos de raio-x para realização de outros exames e, exceto pelo último, todos os centros de imagem continuarão nas unidades de saúde mesmo após o término da pandemia. Em meio a tanta tristeza pelas vítimas da covid-19, um legado positivo.

"Esses tomógrafos são verdadeiras máquinas de salvar vidas, porque diagnosticam cedo o vírus e, assim, a pessoa pode se tratar logo sem que a doença se agrave a ponto de precisar de uma UTI. Buscamos as áreas de maior circulação em bairros e comunidades com esse foco e, após a pandemia, os tomógrafos ficarão de legado em cada área dessas para atender a diversas necessidades de exames dos moradores", disse Crivella.

Cada tomógrafo tem capacidade para realizar até 1.200 exames por mês, mas boa parte deles ainda está em fase de testes, ajustes técnicos ou treinamento de equipes para começarem a funcionar nas comunidades atendidas. Até agora, os novos aparelhos já realizaram quase 1.000 exames, mas a tendência é que o número cresça significativamente quando todas as máquinas estiverem em pleno funcionamento.

Região soma 2 mil mortes

A Zona Oeste do Rio ultrapassou ontem a triste marca de 2 mil mortes provocadas pela covid-19. Com 28 óbitos registrados ontem pelo Painel Rio Covid-19, o número de vítimas da pandemia chegou a 2.012 na região, quase 40% do total do município.

Bairro mais populoso do Rio, Campo Grande também lidera o número de óbitos na capital, com 263 vítimas do novo coronavírus, seguido por Bangu, com 226. Entre os dez bairros com mais mortes, sete são da Zona Oeste: além dos já citados, Realengo, Santa Cruz, Barra da Tijuca, Paciência e Taquara estão na lista.

A região já soma também mais de 13.660 casos confirmados da covid-19. Nesta estatística, quem lidera é a Barra da Tijuca, com 1.693 infectados, seguido por Campo Grande, com 1.662.

Comentários