Homem é preso por planejar sequestro de dona de mercado com ajuda de funcionário

Áudios trocados entre Anderson Campos Pinheiro e o comparsa mostram os dois combinando o crime

Por O Dia

Anderson Campos Pinheiro estava solto desde março
Anderson Campos Pinheiro estava solto desde março -
Rio - Policiais da 72ª DP (São Gonçalo) prenderam, nesta quinta-feira, um homem que planejava sequestrar a dona de um supermercado para roubar o dinheiro do estabelecimento. Anderson Campos Pinheiro, conhecido como Araken, iria cometer o crime com a ajuda de um funcionário do local, que fica no bairro Neves, no município da Região Metropolitana do estado.
De acordo com o delegado Fábio Asty, titular da 72ª DP, o crime foi descoberto depois de investigação do setor de inteligência da distrital.
Em áudios compartilhados entre Araken e o comparsa, na terça-feira, é possível identificar como eles planejavam o crime. De dentro do mercado, o funcionário deu detalhes do caro da patroa.
"O carro dela está parado em frente ao mercado mesmo, mas está encostado em frente a um bagulho de ração. Você vai ver logo. Uma lojinha de ração e um carro branco. O único que tem lá branco, bonito, de luxo é o dela. Tem erro não. Já passei lá e vi do jeito que tá. Tá parado, com o retrovisor fechado", detalhou o funcionário.
Araken chegou ao ir ao local, mas avisou que iria cometer o crime nesta sexta-feira.
"Vou lá tirar uma foto dela para poder ver como será essa parada aí (...) Sexta-feira vai ser melhor", disse.
O funcionário ainda alertou Araken para ficar atento sobre a presença de agentes da operação Niterói Presente, que poderiam frustar os planos dos dois.
"Tem que pegar uma atividade também nesses Niterói Presente de moto aí. Toda hora eles ficam rodando aí na Covanca. Não dá mole não", avisou.
LIBERDADE PROVISÓRIA
Condenado por tráfico de drogas, Araken havia sido solto em março, por causa da decisão judicial que beneficiou presos que do regime aberto e semiaberto para evitar a propagação do novo coronavírus (covid-19).
Contra ele, havia um mandado de prisão preventiva em aberto, expedido pela 4ª Câmara Criminal do Rio, por tráfico de drogas.

Comentários