Ambulante alega que não foi liberado para trabalhar e pede ajuda na internet

Ele mora no bairro de Santa Teresa com outras cinco pessoas, entre elas, duas crianças

Por *Carolina Freitas

O vendedor ambulante André Pacheco divulgou um vídeo nas redes sociais pedindo ajuda para sustentar a família, já que não trabalha há três meses por conta do coronavírus
O vendedor ambulante André Pacheco divulgou um vídeo nas redes sociais pedindo ajuda para sustentar a família, já que não trabalha há três meses por conta do coronavírus -
Rio - O vendedor ambulante André Pacheco construiu uma campanha de ajuda, por meio das redes sociais, para conseguir sustentar a família, já que teve que parar de trabalhar há três meses por conta da pandemia do novo coronavírus.
Ele mora no bairro de Santa Teresa com outras cinco pessoas, entre elas, duas crianças. Antes da pandemia, André atuava em uma feira noturna no bairro da Lapa vendendo bebidas e alimentos.
Em entrevista ao DIA, o vendedor informou que não está conseguindo exercer sua profissão pois a feira em que trabalha ainda não está autorizada a retomar as atividades, já que o horário de funcionamento é de 18h às 5h.
Em uma publicação feita nas redes sociais, André alega que nesse tempo parado, foi infectado pela doença e passou por diversos problemas, além de ser o único da família que tinha um emprego.
"Meus dois filhos adolescentes fizeram cadastro na Rappi, no iFood, no Uber Eats para poder trabalhar pra poder me ajudar, só que até agora nada, ninguém chamou", disse ele em uma parte do vídeo.
"Eu não tenho de onde conseguir recursos. Então eu peço a vocês que por favor, me ajudem (...) para que esse vídeo possa chegar nas autoridades competentes, para que possam olhar por nós. Não só eu, mas ajudar meus amigos também", finalizou. 
Para conseguir ajuda, ele criou uma vaquinha online. Quem quiser ajudar, pode contribuir através de boleto bancário ou cartão de crédito. 
*Estagiária sob supervisão de Thiago Antunes

Comentários