Classe circense repudia nova nomeação para a ENC

Classe circense repudia nova nomeação para a ENC

Por Julia Noia*

Exoneração sem aviso prévio de Carlos Eugênio Vianna, há seis anos na gestão, põe em cheque se os planos da escola terão continuidade
Exoneração sem aviso prévio de Carlos Eugênio Vianna, há seis anos na gestão, põe em cheque se os planos da escola terão continuidade -
Rio - A Escola Nacional de Circo (ENC), localizada no coração da Praça da Bandeira, no Centro do Rio, teve uma guinada inesperada durante a pandemia. No dia 19 de junho, o então diretor da instituição, Carlos Eugênio Vianna, descobriu que havia sido exonerado do cargo em sua leitura rotineira do Diário Oficial da União. Na mesma edição, a produtora cultural Luciana Lago foi anunciada como nova diretora da ENC. A nomeação, entretanto, foi duramente criticada por instituições circenses e pessoas ligadas à escola.
Carlos Eugênio Vianna não esconde sua surpresa com a nomeação da produtora cultural. "Fiz a leitura do Diário Oficial de praxe e vi que meu nome estava na exoneração. Seria pelo menos interessante que eles me avisassem porque eu estava na gestão há 6 anos e para que não desse andamento aos planos que eu tinha para a escola", afirma. Coordenador das atividades da ENC desde o final de 2014, Carlos Eugênio conseguiu formalizar o primeiro Curso Técnico de Artes Circenses do Brasil em 2015, em parceria com o IFRJ e reconhecido pelo Ministério da Educação. Hoje, a escola é referência em formação circense na América Latina e no mundo. 
Em seu perfil no LinkedIn, Luciana Lago não apresenta nenhuma experiência na área circense e pouca atuação no campo artístico. A produtora cultural gerencia o canal Aqui O Povo Fala! no YouTube, no qual defende abertamente posicionamentos do presidente Jair Bolsonaro, além de publicar diversos vídeos em manifestações antidemocráticas e em favor do Aliança Para o Brasil, sigla que Bolsonaro e outros parlamentares bolsonaristas pretendem criar.
Diante da alegada inconsistência na nomeação de Lago para o cargo, diversas instituições circenses pedem que a Fundação Nacional de Artes (Funarte) revogue a nomeação. O Movimento Circo Diverso reforça, em nota de repúdio publicada nas redes sociais no final de junho, que, por seus posicionamentos políticos, Luciana Lago revela "não estar preparada para a condução desta importante instituição", além de apontar que a produtora não mostra ter experiência em instituições de ensino nem com atividades circenses. O Circo Saltimbanco, em nota, lamenta que a ENC seja alvo de "uma escolha política e sem nenhuma experiência ou referência circense". 
Os alunos da ENC também foram pegos de surpresa com a nomeação, mas esperam que "a nova coordenação continue defendendo e lutando pela melhoria e aperfeiçoamento das atividades da escola, da mesma forma como fizeram todos os antigos coordenadores". Logo que houve a nomeação, 325 ex-alunos e pessoas ligadas à escola assinaram uma carta, enviada à Secretaria de Turismo, à Funarte e à Secretaria Especial de Cultura, para questionar a exoneração, mas ainda não tiveram retorno.
Questionada sobre o motivo da nomeação de Luciana Lago e da exoneração surpresa do então diretor, a Funarte não quis se pronunciar.
 

A lona da resistência está montada

A exoneração sem aviso prévio do então diretor da Escola Nacional de Circo movimentou alunos e ex-alunos a construírem um projeto de resistência que transbordasse para as redes sociais, o Amigos da Enclo. Um dos idealizadores do projeto, que preferiu não se identificar, aponta que, após a demissão de Carlos Eugênio, surgiu a necessidade de debater o futuro da escola.

"Após a exoneração em meio à pandemia, começamos a conversar sobre o que isso poderia representar para a instituição. A partir disso, surgiu o Amigos da Enclo, que é a união de diversas pessoas ligadas à ENC, na maioria ex-alunos, que estão se movimentando com a finalidade de fortalecer e defender a escola", explica um dos idealizadores.

Desde a criação desse espaço de apoiadores da ENC, outros desmembramentos foram surgindo, como o @encviva, conta no Instagram para valorizar a cultura e a história da instituição.

Dentro da plataforma, o Amigos da Enclo reúne relatos de ex-alunos, ex-colaboradores da ENC e profissionais circenses para falar sobre a importância da escola no projeto 'Unidos pelo afeto'. O objetivo da iniciativa é destacar seu papel para o circo em nível nacional e internacional.

Falta de comunicação com Funarte

Carlos Eugênio Vianna comenta que a falta de interlocução com a Funarte começou bem antes da exoneração sem aviso prévio.

Desde o começo do ano, Vianna tentava resolver questões burocráticas diretamente com a fundação, mas não tinha nenhum retorno ou abertura de diálogo com o órgão. Assim que soube de sua exoneração, também encaminhou e-mails à Funarte e ao presidente Jair Bolsonaro, mas continuou sem receber nenhum retorno.

Galeria de Fotos

Exoneração sem aviso prévio de Carlos Eugênio Vianna, há seis anos na gestão, põe em cheque se os planos da escola terão continuidade Fotos de Divulgação
Escola é referência em formação circense na América Latina e no mundo. Agora, é dirigida por produtora cultural com discurso antidemocrático Divulgação

Comentários