Ex-funcionários do Samu organizam protesto na frente da Alerj

OZZ Saúde era quem geria o projeto, mas, foi afastada por causa de denúncias de irregularidades na gestão e na prestação do serviço

Por O Dia

Ex-funcionários do SAMU fazem protesto na frente da Alerj
Ex-funcionários do SAMU fazem protesto na frente da Alerj -
Rio - Ex-funcionários do Serviço de Atendimento Médico de Emergência (Samu) foram até a frente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) para protestar, nesta terça-feira. As principais reclamações são de que, desde a demissão, não receberam os salários atrasados e o pagamento da rescisão.
Eles também dizem que o Estado não está sendo transparente quanto ao novo processo seletivo e de que a promessa de recontratá-los não foi cumprida.
A empresa responsável pelo gerenciamento do Samu era a OZZ Saúde, ela quem demitiu pelo menos 1,4 mil trabalhadores que ainda não foram recontratados. Porém, o Governo do Estado a descredenciou por conta de denúncias de irregularidades na gestão e na prestação do serviço.

Com isso, a própria Fundação Estadual de Saúde assumiu a gestão do serviço.
A promessa, não cumprida pelo estado, foi feita no último dia 3 pelo ex-secretário de Saúde, Alex Bousquet. Ele disse que não tinham a intenção de trocar toda a estrutura, pois poderia causar perda na qualidade de o serviço.
Dos 1,4 mil demitidos, apenas 40 foram convocados de novo.

Os antigos funcionário puderam participar do chamado público para contratação de novos funcionários feito pela A Fundação Estadual de Saúde.
A seleção era feita de acordo com a formação e a experiência, somando os pontos dos candidatos. Porém, a reclamação deles é de que falta de transparência no processo, onde pessoas com menos pontos estavam tendo vantagens.

Além da demissão em massa, muitos profissionais sequer receberam os dois últimos meses de trabalho e a rescisão.
 

Comentários