Flávia Lacerda Pimentel, Modesto Lacerda Pimentel e Marcos Vinicius Lacerda de Paula são mãe, avô e tio de Marco André Lacerda Pimentel, morto na Linha Amarela - Reginaldo Pimenta/ Agência O DIA
Flávia Lacerda Pimentel, Modesto Lacerda Pimentel e Marcos Vinicius Lacerda de Paula são mãe, avô e tio de Marco André Lacerda Pimentel, morto na Linha AmarelaReginaldo Pimenta/ Agência O DIA
Por Beatriz Perez
Publicado 26/10/2020 06:23 | Atualizado 27/10/2020 12:09
Rio - O motorista de aplicativo Marco André Lacerda de Paula, de 24 anos, foi baleado na cabeça quando passava pela Linha Amarela, na altura da saída 3, no Engenho de Dentro, na noite de domingo. Ele morreu no local. Segundo relatos, a vítima se desentendeu no trânsito com o motorista de uma BMW, que emparelhou e efetuou os disparos. Tio do rapaz nega a versão e diz que vítima era calma e nunca se envolveu em briga.
Publicidade
Marco André voltava de um evento de carros antigos na Barra da Tijuca e estava com um casal de amigos no carro, segundo o tio da vítima Marcos Vinicius Lacerda de Paula. O jovem é descrito pelo parente, como uma pessoa tranquila. 
Publicidade
"Calmíssimo, muito tranquilo. Trabalhava e tinha sonhos. Um excelente filho, neto e sobrinho", diz Marcos Vinicius. A vítima trabalhava como motorista de aplicativo. E morava com a noiva. "Está todo mundo chocado e perplexo com o que aconteceu", acrescenta.
Marco André estava perto de casa quando foi morto. Apaixonado por automobilismo, havia comprado o carro, um CheryQQ vermelho, há dois meses, segundo o tio. " O sonho dele era viver feliz com a esposa, melhorar o carrinho dele. Nunca se envolveu em briga nenhuma (de trânsito). Estava no melhor momento da vida dele", afirma o tio.
Publicidade
Marcos Vinicius nega a versão de que o sobrinho se envolveu em uma briga de trânsito. "Nãoa falaram que teve corte ou fechada. Eles mesmo falaram que acharam o carro bonito. O cara abaixou o vidro e deu um tiro. Ninguém suspeita de nada. Ele não tem inimigo. Foi uma fatalidade nesse mundo que nós temos aí", contou, citando o relato do casal de amigos que estava no carro com Marco André.
Amigo de Marco André, Yuri Oliveira, recebeu informações da ocorrência por meio de um grupo de amigos do WhatsApp. Ele também participa do encontro de carros do qual a vítima voltava. O amigo diz que a BMW fechou o carro e efetuou dois disparos no rosto de Marco André, que morreu na hora. Yuri também diz que não houve briga ou discussão.
Publicidade
"A questão que está sendo apurada na DHC é que a pessoa sabe atirar porque o tiro foi certeiro. Pegou o nosso amigo, que estava no carona e não atingiu a mais ninguém. Não houve discussão. O veículo e a pessoa são desconhecidos. Tanto que a pessoa ainda não foi identificada e dali seguiu adiante", conta.
Yuri também descreve a vítima como uma pessoa calma. " Não tinha problema com ninguém. Era uma pessoa de coração limpo. Meu amigo desde os 15 anos de idade", ressalta.
Publicidade
Familiares realizaram o reconhecimento do corpo no Instituto Médico Legal (IML) na manhã desta segunda-feira. O sepultamento do Marco André Lacerda de Paula está marcado para terça-feira (27) no Cemitério da Penitência, Capela 7, às 14h, no Caju, Zona Norte do Rio. Mãe da vítima, Flávia Lacerda Pimentel, já havia perdido outro filho para um câncer, quando este tinha onze anos. 
Publicidade
Um áudio que circula em grupos de WhatsApp aponta que houve desentendimento."Omoleque tava vindo, pediu passagem pra BM (BMW), daí a BM deu passagem pra ele, quando ele foi passar, a BM fechou ele. Ele cortou o maluco da BM, diminuiu pra sair na (saída) 3 da Amarela. Quando tava saindo, o maluco parou do lado dele. Um falou gracinha para o outro. O maluco apontou a arma e deu dois tiros no moleque", diz o relato.
A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informa que, no domingo, equipes do 3ºBPM (Méier) realizavam patrulhamento na Rua Guineza,saída da Linha Amarela, quando se depararam com um veículo que colidiu com a mureta após indivíduos terem atirado contra o motorista. A área foi isolada e a perícia acionada. Ocorrência encaminhada para a DH.
Publicidade
De acordo com informações da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), as investigações estão em andamento para apurar a morte de Marco André Lacerda de Paula. A perícia foi realizada no local e os policiais realizam diligências para identificar a autoria do crime.
A Lamsa, que administra a Linha Amarela, disse que irá colaborar com as investigações, caso solicitada pela polícia.