Cláudio Castro diz que pretende fazer uma política unificada contra a covid-19 no estado
Cláudio Castro diz que pretende fazer uma política unificada contra a covid-19 no estadoEstefan Radovicz / Agencia O Dia
Por O Dia
Rio - O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do Rio de Janeiro (Sepe RJ) repudiou, nesta sexta-feira, o adiamento da suspensão das aulas presenciais da rede municipal no Rio de Janeiro. Em coletiva, o governador em exercício, Cláudio Castro (PSC), afirmou que a decisão será tomada apenas na próxima semana. Pouco antes, o secretário de Educação, Comte Bittencourt, disse que as aulas estarão suspensas a partir deste sábado. 
"A demora na decisão só leva os profissionais da educação e a comunidade escolar a ficarem mais ansiosos e preocupados, além de correrem riscos de vida expostos ao perigo de contaminação", argumentou o Sepe, em nota. 
Publicidade
O sindicato ainda orientou que profissionais da educação do estado a manterem a mobilização grevista pela defesa da vacinação preferencial para a categoria. "Lembramos que continuaremos lutando para que todos os professores possam ter autonomia na sua forma de trabalhar, podendo optar pela plataforma que melhor atingir os alunos, tanto em quantidade quanto em qualidade", afirmou. 
Sepe defende fechamento
Publicidade
O coordenador do Sindicato dos Profissionais da Educação do Rio de Janeiro (Sepe), Gustavo Miranda, informou que o Sepe é a favor do fechamento das escolas. Ele destacou que a decisão de suspender as aulas presenciais em todo o estado vai gerar um prejuízo pedagógico, no entanto, é necessária. “O Sepe já tem uma posição de manutenção das aulas de ensino remoto, que é o menos gravoso no momento. A gente admite que vai ter prejuízo pedagógico, entretanto, entre ter o prejuízo pedagógico e colocar em risco a vida das pessoas, o indicado é garantir que as pessoas não sejam contaminadas”, defendeu Miranda.

O coordenador também reforçou a ideia de união entre estado e municípios para decidirem juntos os próximos passos da educação. “Você não pode criar um desnível entre os alunos do estado, que são do ensino fundamental, e os alunos que moram no estado, mas são atendidos pelos municípios do Rio de Janeiro”, afirmou o coordenador do Sepe.
Em nota, a Secretaria Municipal de Educação informou apenas que "as aulas da rede municipal estão mantidas regularmente até o momento". Já a Secretaria de Estado de Educação informou que, apesar de terem comunicado a suspensão, o Governo do Rio estabeleceu que não é o momento para a suspensão.