Os que receberam o imunizante da Oxford/Astrazeneca devem aguardar o intervalo da vacina, que é de 12 semanas, para a segunda dose, que ainda não está disponível
Os que receberam o imunizante da Oxford/Astrazeneca devem aguardar o intervalo da vacina, que é de 12 semanas, para a segunda dose, que ainda não está disponívelDivulgação
Por O Dia
Rio - O prefeito Eduardo Paes (DEM) divulgou, na noite desta quinta-feira, o novo calendário de vacinação do município. A vacinação será retomada na próxima segunda-feira, com a imunização de mulheres com 74 anos ou mais. A Prefeitura do Rio decidiu manter o rodízio de imunização entre homens e mulheres. 
Na terça-feira, serão imunizados homens com 74 anos ou mais. A previsão é de que, até o início de abril, o calendário de vacinação alcance pessoas com até 70 anos.
Até o momento, 496.161 cariocas receberam a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus e 187.489, a segunda dose. No total, 683.650 doses foram aplicadas no município do Rio. Até esta quinta-feira (18), 615.930 casos confirmados e 34.695 óbitos por coronavírus no estado. Nas últimas 24 horas, foram contabilizados 2.950 novos casos e 109 mortes. Entre os casos confirmados, 573.444 pacientes se recuperaram da doença.
Publicidade
Paes admite possibilidade de lockdown
Para conter o aumento de internações por covid-19 no Rio, o prefeito Eduardo Paes não descarta o fechamento completo da cidade e a adoção de barreiras sanitárias. Na sexta-feira (19), a prefeitura vai divulgar um boletim epidemiológico e novas medidas restritivas já poderão ser anunciadas. O próximo fim de semana será fundamental para avaliar, na próxima segunda-feira, se as regras serão endurecidas, inclusive com ampliação de horário da proibição de permanência na rua, a suspensão de cultos e o fechamento de parte do comércio.
Publicidade
Nesta quinta-feira, a capital do Rio alcançou o maior número de pacientes internados com covid-19 em hospitais públicos. De acordo com os dados fornecidos pela Secretaria Municipal de Saúde, 637 leitos de UTIs estão ocupados, de um total de 776, representando 95% das vagas disponíveis. Este é o maior número desde o início da pandemia, quando a população ainda podia contar com os leitos dos hospitais de campanha.