A vacinação para a segunda dose do imunizante CoronaVac segue suspensa ou com poucas reservas
A vacinação para a segunda dose do imunizante CoronaVac segue suspensa ou com poucas reservasDivulgação
Por Jorge Costa*
Rio - A vacinação para a segunda dose do imunizante CoronaVac segue suspensa ou com poucas reservas em pelo menos em 21 municípios do Estado do Rio de Janeiro. O governo fluminense, contudo, manteve a continuidade da entrega das vacinas na manhã deste domingo (2), mas apenas 54.160 são de fabricação do Instituto Butantan das 650 mil unidades.

Na sexta (30), o governo distribuiu a nova remessa para a capital. No sábado, Maricá, Niterói e São Gonçalo tiveram acesso aos imunizantes, e hoje, as 88 prefeituras receberão o restante dos 650 mil imunizantes. Com a escassez da CoronaVac, a recomendação feita pelo estado é para que as prefeituras utilizem o imunizante apenas como segunda dose, com exceção dos municípios que tenham reservas e estejam completamente em dia com a campanha de imunização. Confira abaixo a situação de municípios do Rio de Janeiro
São Gonçalo
Publicidade
Em São Gonçalo, a distribuição da segunda dose da CoronaVac foi retomada após a chegada de 3.260 unidades. As aplicações serão destinadas às pessoas que foram vacinadas a partir dos últimos 21 dias. Para receber o imunizante, é obrigatório comparecer com o comprovante da última vacinação.
Niterói
Publicidade
A Secretaria Municipal de Saúde de Niterói informou que recebeu, neste fim de semana, 2.250 doses da vacina CoronaVac, programando o retorno da aplicação da segunda dose. O anúncio será feito no início desta semana. Ainda segundo a Secretaria, a vacinação da segunda dose com a AstraZeneca continua normalmente.
Mangaratiba
Publicidade
A Secretaria de Saúde de Mangaratiba informou que ainda não tem previsão para a retomada da vacinação com a segunda dose de Coronavac, pois o número de doses enviadas pelo Governo do Estado ainda é insuficiente para atender a demanda. O município informa que ficou um período de 14 dias sem o abastecimento da CoronaVac e, embora tenha sido feita uma reserva técnica, a mesma se tornou insuficiente no último dia dia 26/04 devido a falta de reposição de vacinas.

A Secretaria ainda esclareceu que na entrega de frascos efetuada pelo Governo do Estado neste domingo, 02/05, apenas 140 doses de CoronaVac foram fornecidas ao município, sendo que a demanda seria de 520 doses para a próxima semana.
Três Rios
Publicidade
O município de Três Rios também confirmou que 280 unidades da CoronaVac foram entregues pelo estado neste domingo (02), e anunciou a retomada da oferta da segunda dose para idosos das Unidades Básicas de Saúde que ainda não receberam a nova aplicação do imunizante. Segundo a prefeitura, eles estavam pré-agendados desde o dia 22 e 23 de abril.

Já os idosos que estavam na fila para os dias 27, 28 e 29 de abril, ainda precisam aguardar a chegada de novas remessas para um novo agendamento. A prefeitura de Três Rios ressaltou que segue avançando com a vacinação para os grupos com comorbidades, através da aplicação da vacina Oxford/AstraZeneca.
Duque de Caxias
Publicidade
Prefeitura informa que, em função do baixo quantitativo de doses da vacina Coronavac entregues pelo Ministério da Saúde, a SMS entrará em contato com aqueles que receberam a primeira dose em 24/03 e datas anteriores, para prestar mais informações. A Prefeitura ressalta ainda que aguarda a chegada de novas doses de Coronavac para normalizar a vacinação no município.
Mesquita
Publicidade
O município de Mesquita recebeu uma nova remessa para segunda dose de CoronaVac neste domingo, dia 2 de maio. Entretanto, segundo o município, a quantidade é bem menor que o esperado e, com isso, é necessário estabelecer prioridades na aplicação do imunizante. Com isso, os idosos a partir de 70 anos que já estão no prazo para receber a segunda dose de CoronaVac podem ir a um dos três postos de vacinação da cidade nesta segunda-feira, dia 3 de maio, para completar o ciclo de imunização contra a covid-19. Já para a segunda dose da vacina AstraZeneca, a aplicação segue normal para quem está no prazo de receber.
 
Publicidade
Posição do Butantan
Sobre a escassez da disponibilidade da CoronaVac, o instituto Butantan disse em nota que é o grande responsável pelo programa de vacinação contra a covid-19 no país, fornecendo sete em cada 10 unidades para a população.

O instituto mencionou que era um papel do Ministério da Saúde orientar os estados na logística e aplicação dos imunizantes, e que a orientação anterior era para que a vacina CoronaVac fosse usada prioritariamente para a primeira dose. A mudança desse procedimento foi feito no dia 27 de abril.

Ainda segundo o instituto, um lote de 600 mil doses foi entregue na sexta (30) ao governo federal, totalizando 42 milhões de unidades desde 17 de janeiro. Mais 5 milhões começam a ser entregues nesta semana.

Por fim, a entidade disse que os prejuízos na relação entre Brasil e China também afetam diretamente o cronograma de envio do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), o que influencia na capacidade de produção das doses.

O vice-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) Alberto Chebabo disse em entrevista ao DIA que existe a possibilidade de ocorrer a perda da eficácia total do imunizante quando a distribuição dele sofre atraso, e que o ideal seria a segunda dose da CoronaVac aplicada em até duas semanas.
Publicidade
*Sob a supervisão de Yuri Hernandes