Mais Lidas

Cada vez mais no buraco

Buraco já faz parte da rotina do carioca! Seja de carro ou a pé, sempre vai ter um para se ferrar

Por O Dia

Bárbara Araújo levou 40 pontos na perna direita
Bárbara Araújo levou 40 pontos na perna direita -
Rio - Quarenta! Não, isso não é nenhuma nota de quesito de escola de samba ou número de algum político para a próxima eleição (pelo menos ainda, né). Foi o número de pontos que a vendedora Bárbara Araújo teve que levar na perna direita ao cair em um bueiro que estava com a tampa quebrada, em Vargem Pequena, onde mora. Olha que perigo...

Bárbara estava com sua bebê de apenas dois meses caminhando pela Rua Dumontina, quando não viu o bueiro pela metade. O momento que seria de lazer para mãe e filha, acabou em dor e desespero...

“Eu a levei para tomar um banho de sol de manhã e me distraí. Só senti o impacto, um susto. Na hora minha pele rasgou, mas nem senti dor, porque o meu desespero foi de afundar com a minha filha ou até ela cair do meu braço e rolar para a estrada”, conta Bárbara.

O tombo foi tão feio que, para se ter noção, pedaços da pele ficaram presos no que tinha sobrado da tampa!

Depois de tanta tensão e gritando por socorro, finalmente Bárbara e sua bebê foram socorridas. A neném, graças a Deus, não se machucou, e Bárbara foi levada ao Hospital Lourenço Jorge, na Barra.

Moradores da região dizem que buracos e bueiros destampados ali são comuns... Mas nenhuma autoridade chega para resolver o problema.

“São muitos caminhões que passam por aqui. Nós já denunciamos, ligamos para prefeitura várias vezes, mas ninguém aparece! A gente sabia que uma hora ia dar problema, alguém ia se ferir... Deu no que deu”, conta um morador.

Incrível, né? Buraco já faz parte da rotina do carioca! Seja de carro ou a pé, sempre vai ter um para se ferrar. Algo que poderia ser evitado, quase virou uma tragédia!

E se mãe e filha afundassem pelo bueiro? Se a neném caísse do colo da mãe e parasse na estrada movimentada? Podia até ser atropelada! Quem ia segurar a “responsa” disso?

Que bom que mãe e filha estão bem, mas a gente não pode aceitar que o povo fique no prejuízo por falta de capricho dos órgãos responsáveis em fiscalizar os buracos pela cidade... E não é só fiscalizar, tem que meter a mão na massa!

A coluna procurou a Secretaria Municipal de Conservação, mas até o fechamento desta edição não recebeu resposta.

3,2,1... É DEDO NA CARA!

TÁ FEIO!

Por não se locomover, Samuel fica o tempo inteiro em um carrinho de bebê que já está apertado para o seu tamanho - divulgação
A família de Samuel Lima Medeiros, de apenas 4 anos, morador do morro da Fé, na Penha Circular, pede socorro.

Samuel, que sofre de hidrocefalia, também nasceu com uma síndrome que deixa sua coluna exposta. O menino precisa muito de uma cadeira de rodas, sondas e fraldas para manter seu tratamento. Por não se locomover, ele fica o tempo inteiro em um carrinho de bebê que já está apertado para o seu tamanho... Que situação.

“É uma dificuldade diária. A gente depende de transporte público para que ele receba os devidos cuidados. Qualquer ajuda agora é muito bem-vinda”, conta Luciana Lima, mãe de Samuel.

Quem puder ajudar o Samuel, é só entrar em contato pelo telefone: (21) 99034-8468.

Se você me perguntou se tá feio ou tá bonito... A gente tem que conseguir uma cadeira pra ele! Bora ajudar? E tenho dito.
 

Comentários