Som de terreiro para o melhor curimbeiro

Prêmio Atabaque de Ouro homenageia o músico e compositor Moacyr Luz

Por aline.cavalcante

As tradições e a cultura africana serão protagonistas na Baixada Fluminense. Ao som dos atabaques e agogôs, o Prêmio Atabaque de Ouro vai embalar a quadra da Grande Rio no dia 11. Moacyr Luz será o padrinho do 12º encontro de curimbeiros, como são chamados os responsáveis pelos cânticos em rituais da Umbanda e do Candomblé.

Representantes de seis estados vão se apresentar para um corpo de jurados, que elegerão o melhor curimbeiro do Brasil. Os 14 participantes venceram festivais de seus estados. O evento também vai premiar outras categorias, como revelação, diretor do melhor festival, figurino, letra, intérprete, coreografia, voz veterana, entre outras.

“O Atabaque de Ouro contribui para a difusão das tradições de matrizes africanas e de cultura popular. Além disso,é uma abertura de mercado para esses intérpretes e compositores”, afirma Marcelo Fritz, diretor do festival.

O prêmio foi criado em 2005 pelo Instituto Cultural de Apoio e Pesquisa às Tradições Afro (Icapra).

“O festival de melodias de terreiros mobiliza muita gente que deseja preservar estas tradições. É uma honrar apadrinhar esta linda festa”, disse o homenageado, Moacyr Luz.

O evento começa às 13h30 e deve reunir cerca de 2 mil pessoas. A mesa com quatro lugares custa R$ 180. A quadra da Grande Rio fica na Rua Wallace Soares, Centro, Duque de Caxias.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia