Denúncias podem ser feitas pelo e-mail vigilanciasanitaria@pmsg.rj.gov.br ou pelo telefone 3195-5198 ramal 1005 (armazenamento e manipulação de alimentos) ou 1008 (descumprimento de medidas de segurança quanto á pandemia) - Divulgação
Denúncias podem ser feitas pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone 3195-5198 ramal 1005 (armazenamento e manipulação de alimentos) ou 1008 (descumprimento de medidas de segurança quanto á pandemia)Divulgação
Por Irma Lasmar
SÃO GONÇALO - A Vigilância Sanitária reforçou a fiscalização dos estabelecimentos comerciais da cidade, com o objetivo de orientar clientes e funcionários sobre os protocolos a serem obedecidos, de modo a conter o avanço do novo coronavírus. Também foi intensificado o trabalho de conscientização de clientes de bares e restaurantes, a fim de evitar aglomerações, em especial durante a noite e nos finais de semana.
"A princípio, a fiscalização é apenas de orientação sobre as normas essenciais, como o uso obrigatório de máscaras, oferta de álcool em gel 70% e distanciamento de, pelo menos, um metro entre as pessoas. A redução da capacidade de atendimento para 60% nos estabelecimentos comerciais também deve ser respeitada, sempre evitando qualquer tipo de aglomeração", contou o secretário municipal de Saúde, André Vargas.
Publicidade
Vargas alertou que a colaboração da população é fundamental para que restrições ainda mais rígidas não sejam necessárias no futuro. “Precisamos conscientizar cada morador quanto à importância de que as medidas preventivas sejam respeitadas, a fim de que possamos continuar prestando o atendimento nas unidades de saúde sem que haja risco de colapso no sistema. A batalha contra o coronavírus é de cada cidadão. A Prefeitura está trabalhando para reduzir os índices de contágio, mas o gonçalense precisa colaborar”, afirmou.

A fiscalização em bares e restaurantes começou na última quinta-feira no período da noite, e vai acontecer, toda semana, de quinta-feira a sábado, sempre a partir das 21h. As incursões diárias em lojas e demais estabelecimentos continuam. “O objetivo principal dessa fiscalização específica é a orientação e a prevenção ao coronavírus, para ajudar a conter a contaminação da doença na cidade”, reforçou o diretor da Vigilância Sanitária, Marcelo Sá Lima.

Além da fiscalização para evitar a proliferação do vírus, também cabe aos fiscais o trabalho de avaliar todos os quesitos para o bom funcionamento do comércio em relação à saúde, como a verificação de armazenamento de produtos, datas de validade e questões de higiene em geral. “Nesses casos, se forem encontradas irregularidades, os comércios recebem a notificação de infração, podendo ser multados se não apresentarem recurso”, explicou Marcelo. Os fiscais notificam a infração ao comércio, que tem 15 dias para recorrer, podendo o pedido ser deferido ou não. Se a defesa não for aceita, o comércio é multado. As multas variam de leve a gravíssima e vão de 6 a 1363 Ufisgs, equivalente hoje a R$37,94 cada.
Denúncias neste sentido podem ser feitas pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone 3195-5198 ramal 1005. Já para denúncias relacionadas à Vigilância Ambiental, o ramal é 1008 no mesmo telefone.
Publicidade