Tuane e o pequeno Calebe retornaram nesta segunda (13) para São João de Meriti, a 44km do Hospital Estadual Alberto TorresDivulgação / Alex Alves

SÃO GONÇALO - Parada respiratória. Cirurgia de emergência. Idas e vindas ao Centro de Tratamento Intensivo (CTI). Quatro meses e 21 dias de incertezas, choro, nervosismo e orações. Assim foi a rotina da dona de casa Tuane Cristina Alves Pereira, de 28 anos, mãe do pequeno Calebe, de cinco meses de vida, durante todo o tratamento no Hospital Estadual Alberto Torres (Heat). Mas, nesta segunda-feira (13), ela recebeu a tão esperada notícia: mãe e filho estavam de alta hospitalar.

"Só tenho a agradecer a Deus e a todos os funcionários que acompanharam o meu sofrimento e me deram muito apoio. Saio do hospital hoje com meu filho vivo e com uma gratidão enorme a todos estes profissionais", exclamou a mãe, emocionada, após empunhar cartazes de agradecimento e distribuir lembrancinhas à equipe do CTI pediátrico.

Moradora do município de São João de Meriti e mãe também de uma menina de um ano e cinco meses, Tuane buscou ajuda logo após o nascimento de Calebe, que ingeriu líquido amniótico durante o parto. Com um quadro de anóxia neonatal (ausência de oxigênio nas células do recém-nascido), a criança foi levada para uma unidade da região. "Eu via que eles não tinham estrutura para cuidar do meu filho e diziam que ele não ia sobreviver. Graças a Deus, viajei 44 quilômetros e consegui a transferência dele para o Alberto Torres", relembra ela.

Depois de realizar uma cirurgia de emergência e ficar quatro dias no respirador, o pequeno Calebe deu sinais de melhora e virou o queridinho dos funcionários do hospital. "Assim que saiu do aparelho, ele recebeu um carinho muito grande. Mas voltou a assustar todo mundo nos quatro meses seguintes, com altos e baixos em seu quadro clínico. Só que isso agora é passado. Volto para casa com meu filho vivo, forte e saudável. Vou guardar essa equipe no coração pelo restante da minha vida", garantiu Tuane.

O pequeno Calebe vai continuar se tratando no ambulatório de pré-cirurgia do Alberto Torres. Sua primeira consulta será no próximo dia 22, aniversário da cidade de São Gonçalo. No entanto, por estar desempregada, a mãe do menino enfrenta dificuldades para manter a alimentação do paciente, que necessita de leite especial, bem como comprar material de higiene pessoal e fraldas e ter recursos para chegar até o hospital de táxi ou transporte por aplicativo. Ao deixar a unidade nesta segunda-feira, mães de outras crianças internadas fizeram uma "vaquinha" e arrecadaram o dinheiro para ela seguir até em casa. Tuane também ganhou duas latas de leite Pregomir e roupinhas para o bebê. Quem quiser ajudar Calebe pode fazer um PIX pelo código 186 068 517 01.
Após quatro meses e 21 dias de internação, que incluíram uma parada respiratória e uma cirurgia, o bebê de cinco meses de vida recebeu alta hospitalar curado - Divulgação / Alex Alves
Após quatro meses e 21 dias de internação, que incluíram uma parada respiratória e uma cirurgia, o bebê de cinco meses de vida recebeu alta hospitalar curadoDivulgação / Alex Alves