A maioria dos registros foi de cidadãos em busca de vistorias em imóveis ameaçando desabar, quedas de árvores e deslizamentos.Divulgação PMSG

A Defesa Civil de São Gonçalo não para de trabalhar e  registrou 22 solicitações da população entre a manhã da última quinta (6) e o início da manhã desta segunda-feira (10). A maioria dos registros foi de cidadãos em busca de vistorias em imóveis ameaçando desabar, quedas de árvores e deslizamentos. O município segue em estágio de observação.
"Ao todo, 10 chamadas foram classificadas como emergenciais, resultando na recomendação de interdição de quatro imóveis nos bairros do Zé Garoto, Barro Vermelho, Tribobó e Venda da Cruz. Não foram registradas ocorrências com feridos. Também não foi preciso a abertura de pontos de apoio até o momento", informou a Prefeitura no texto.
Segundo as informações, o bairro Gradim, que conta com o sistema de sirenes, foi o local que registrou maior quantidade de chuva acumulada em três dias na cidade, com 92 milímetros em 96h, o que corresponde à metade da média histórica de precipitação para o mês de janeiro em São Gonçalo. O Gradim foi também a localidade que teve o maior volume em 24h, com 56,2 milímetros.
Para a semana a previsão é de céu parcialmente nublado a encoberto, com possibilidade de chuvas fracas a moderadas. As equipes da Defesa Civil seguem nas ruas realizando as vistorias e atendendo aos chamados da população. Em caso de emergências, o órgão pode ser acionado por meio do telefone 199.
Acumulado de chuva nas últimas 24 horas é o seguinte: Tenente Jardim - 13.8 mm; Sete Pontes - 15.2 mm; Novo México - 12.8 mm; Gradim - 12.6 mm; Engenho Pequeno IV - 17.2 mm; Engenho Pequeno II - 4.8 mm; Boa vista - 6.2 mm e Arsenal - 13.8 mm.