Com 80 casos em 24 horas, pandemia não indica estar perto do pico em Campos

São mais três mortos pelo coronavírus; 71 no total; Vigilância em Saúde investiga outros 16 óbitos

Por O Dia

Imagem computadorizada do coronavírus
Imagem computadorizada do coronavírus -
Campos — A pandemia do coronavírus não dá indícios que está perto de atingir seu pico em Campos. Os números continuam em escalada vertiginosa. Nas últimas 24 horas, foram 80 novas confirmações, com mais três mortes. Os totais são 1217 contaminados, com 71 mortos oficializados. As últimas vítimas são uma mulher de 74 anos e dois homens, de 67 e 73. Todos apresentavam condição pré-existente agravante.
Atualmente o município tem 154 leitos dedicados ao tratamento de casos graves de covid, mas a ocupação já bate 94%, de acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico Felipe Quintanilha.
Apesar disso, Campos opera no que foi batizado de “lockdown parcial”, o estágio laranja do ranking de avaliação do risco de contágio pelo coronavírus. Além dos serviços essenciais — basicamente setores alimentícios e ligadas à saúde — há a liberação para outros segmentos, como lojas de informática.
Reflexo da pressão cada vez maior do estrangulamento econômico do município. Assim, as autoridades médicas campistas tentam conscientizar a população de que o relaxamento não é sinal de que está tudo bem. A orientação é manter o isolamento e só sair de casa em caso de extrema necessidade, além de seguir as regras de higiene, como lavagem constante das mãos e uso de álcool gel.
A Vigilância em Saúde investiga 207 casos de síndrome respiratória aguda grave, e quase 3,5 mil de síndrome gripal. Outros 16 mortos — além dos 71 já confirmados — aguardam resultado de exame para a infecção.
Aqueles que apresentarem sintomas — tosse, febre, cansaço e dificuldade para respirar (em casos graves) — devem buscar orientação com a Central de Informações da Covid, pelo número 192.

Comentários