Agente penitenciário é morto com tiro no peito, e mulher é principal suspeita do crime

Acusada alega legítima defesa, com briga levando a disparo acidental; os três filhos do casal estavam em casa na hora do assassinato

Por O Dia

Policiais militares do 8ºBPM de Campos realizaram operação contra o crime organizado em Guarus
Policiais militares do 8ºBPM de Campos realizaram operação contra o crime organizado em Guarus -
Campos — Misael Almeida Carvalho, um agente penitenciário de 44 anos, foi morto com um tiro no peito, dentro de casa, no Parque Santa Clara, em Campos. A investigação da polícia civil indica que o crime, ocorrido na madrugada desta segunda, foi cometido pela mulher da vítima. Carvalho foi socorrido ao Hospital Ferreira Machado, mas não resistiu. O revólver calibre 38 usado para cometer o assassinato foi apreendido. O caso está a cargo da 146ªDP (Guarus).
Segundo a polícia militar, a acusada alegou legítima defesa. O casal teria entrado numa briga depois que Carvalho chegou a casa alterado e deu dois disparos na sala, um deles acertando a parede da cozinha. Durante a luta entre eles, a arma disparou mais uma vez, atingindo o agente.
Os três filhos do casal estavam na casa na hora do incidente.
A PM disse que a cena do crime indicava que o corpo do morto havia sido arrastado e o local passado por limpeza.
“A investigação demonstrou, após ouvirmos testemunhas e outras provas técnicas, que não houve legítima defesa, mas um homicídio qualificado puro e simples”, declarou o delegado Pedro Emílio Braga, titular da 146ªDP.

Comentários