Coisas do Rio
Coluna
Coisas do Rio
Thiago Gomide - thigomide@gmail.com

Para Isabele Benito

Apresentadora escreve coluna sobre os desafios pessoais enfrentados com o coronavírus e leva o leitor a reflexão

Por Thiago Gomide

Rio de Janeiro 10/07/2019 - ESPECIAL - Isabele Benito. Foto: Luciano Belfoird/Agencia O Dia
Rio de Janeiro 10/07/2019 - ESPECIAL - Isabele Benito. Foto: Luciano Belfoird/Agencia O Dia -
Em sua penúltima coluna aqui no O DIA, a jornalista Isabele Benito conta os desafios que está atravessando por causa da COVID-19.

O marido dela está internado no CTI, com coronavírus. Desde já, fica o abraço e a boa energia para que tudo dê certo.

“É uma doença solitária, o contato com familiar é proibido! E quem chega perto de você, está todo equipado para não se contaminar com o que mora dentro... De você”, escreveu Benito.

Li esse relato tomando o café da manhã. Parei algumas vezes. Olhar distante.

Fernanda me encarava pensando que estivesse acontecendo algo de pior, tipo uma falta de ar inesperada. “Tá tudo bem?”, perguntava repetidamente.

O texto de Isabele nos coloca no visor de uma sala de espera.

Não conheço Isabele, a não ser da maneira como milhões de pessoas.

Mas a dor dela me alcançou, me tirou do eixo, não pediu passagem.

Olho o texto e fico abismado. Me ponho no lugar de Isabele, me ponho no lugar do marido dela.

É tão forte pensarmos na solidão da distância forçada. É tão forte levantar a cabeça e tentar olhar o futuro. E forçar o futuro.

Isabele merece um abraço enorme. Isabele nos leva a entender que somos finitos. Isabele, em seu texto, é nosso Heidegger.

Esse coronavírus é isso. É a doença da solidão.

Fique em casa. Se proteja. Não tem sugestão melhor.

Leia Isabele.
*
Força ao SBT
Ontem foi dia de mandar mensagem para a jornalista Branca Andrade, amiga da época de escola e editora-chefe do programa "Cariocou", no SBT. 
Queria saber como estavam todos na emissora.
Fica aqui meu enorme abraço aos profissionais do SBT, que estão fazendo de tudo para informarem com o critério e qualidade de sempre. 

Comentários