Casa em clima de primavera

Dicas de como adicionar tons alegres e transformar os ambientes

Por Cristiane Campos

Trocar as capas das almofadas por modelos com cores mais claras e pequenos detalhes da natureza é uma das sugestões de especialistas para repaginar o lar
Trocar as capas das almofadas por modelos com cores mais claras e pequenos detalhes da natureza é uma das sugestões de especialistas para repaginar o lar -
Muitas cores, dias ensolarados, alguns mais chuvosos, a primavera é motivo de inspiração para diferentes áreas, incluindo a arquitetura e a decoração. Aproveitar o período para fazer uma mudança no visual do lar faz bem para o ambiente e para o astral. Ainda mais depois da experiência do isolamento social por causa da pandemia. Confira as dicas de especialistas e saiba como deixar a casa vestida com o clima da estação:

Cores
Adicionar tons alegres aos ambientes é a cara da primavera. Cores vibrantes têm o poder de mudar completamente um ambiente. "Nas paredes, algo que pode trazer praticidade e surtir grande efeito é o papel de parede", aponta a arquiteta May lee Chaves.

Almofadas
O acessório é uma alternativa ótima para mudar a decoração gastando pouco. Segundo a profissional, a dica é trocar as capas das almofadas por modelos com cores mais claras e pequenos detalhes da natureza.

Cortinas
Para permitir que a luz do sol entre nos ambientes criando espaços mais aconchegantes, vale investir em cortinas de tecidos mais leves e claros. Elas permitem o controle suave da incidência de luz natural. "Aposte em linho, voil, seda, gaze de linho e organdi" explica a arquiteta Ana Cano Milman.

Plantas
Na varanda ou dentro de casa, entre na tendência das florestas urbanas, enchendo a casa de plantas e criando um refúgio particular (ótimo antídoto às rotinas estressantes).

Horta em casa

Um pequeno espaço, sol e alguns cuidados básicos são dicas para ter uma horta em casa - Freepik
Outra forma de estar em contato com as plantas e com a estação é ter uma horta em casa. Para quem deseja montar, mas não saber por onde começar, a Marabraz tem algumas orientações:

Escolhendo o local
Não é preciso ter um quintal para cultivar as hortaliças. Elas não são tão exigentes e nem precisam de um espaço gourmet e tampouco utensílios caríssimos para manutenção. Um cantinho de claridade é mais do que suficiente. Se bater sol, melhor ainda! Para isso algumas opções são jardineiras que podem ser instaladas na sua cozinha, área de serviço ou até mesmo na varanda. É importante que a horta pegue em média quatro horas de sol por dia. Para isso, use suportes e vasos de plantas para fazer a sua hortinha próxima a uma janela ou que seja fácil levar de um local para outro.

Para lares que não têm locais com esse tipo de estrutura, ou que o sol bate em diferentes cômodos ao longo do dia, há outra solução: ao colocar as plantas em vasos individuais, elas podem ser trocadas de lugar para aproveitar as exposições ao sol ao longo do dia. Uma possibilidade de base para colocá-las seria em um móvel curinga que dê para levar para os diversos locais da casa.

Escolhendo as plantas
Pequenas áreas recebem muito bem o plantio de temperos e ervas aromáticas. Além delas, alface, espinafre e até tomates-cereja são uma boa opção. Mas lembre-se de respeitar a rega e o a exposição ao sol necessária para cada tipo de planta. Os tomates, por exemplo, precisam de ao menos quatro a cinco horas de sol por dia e ser regado frequentemente para maximizar os resultados e produções.

Uma opção é plantá-los em vasos separados para que a rega de um não comprometa o rendimento do outro. Lembre-se: tratar todas as hortaliças da mesma forma, sem respeitar suas individualidades, pode levar ao insucesso no cultivo.

Outra dica: não precisa comprar mudas para plantio. Ao comprar cheiro verde, ou outras verduras que possuem raízes, como a alface e a acelga, note que elas vêm com raízes. Na hora do consumo, corte apenas o necessário e deixe as raízes em um recipiente com água mineral por alguns dias, até que elas fiquem grandes o suficiente para o plantio.

Por onde começar
É fundamental que o vaso escolhido consiga exercer a drenagem adequada. Para isso, é preciso que haja pequenos "furinhos" no fundo para garantir a circulação de água e nutrientes. Depois forre com bolinhas de argila expandida e em seguida aplique uma manta geotêxtil, também conhecida como bidim, para a drenagem. Ela serve para segurar a terra, evitando que vá embora nos processos de rega. E, por fim, coloque o substrato escolhido. É ele que vai garantir o fornecimento de nutrientes que a cultura precisa para crescer e desenvolver-se adequadamente.

Comentários