Caixa aumenta valor de financiamento de imóveis para servidores

Medida alcança funcionários públicos da União, estados e municípios

Por O Dia

Caixa Econômica Federal autorizou mudanças nas regras de financiamento de imóveis
Caixa Econômica Federal autorizou mudanças nas regras de financiamento de imóveis -

Rio - Os servidores públicos interessados em ter a casa própria devem ficar atentos. A Caixa Econômica Federal aumentou o valor do empréstimo para os funcionários que comprarem imóveis usados. O banco elevou, de 70% para 80%, o limite de financiamento, igualando o teto com o usado na aquisição de unidades novas.

Segundo a assessoria de imprensa da Caixa, a medida vale para servidores públicos do Poder Executivo de todas as esferas: União, estados e municípios.

Os demais clientes continuarão a financiar até 70% do valor de imóveis usados e 80% no caso de imóveis novos. A Caixa anunciou que o aumento do limite para os servidores tem como objetivo beneficiar o segmento com a mais baixa inadimplência e estimular o relacionamento de longo prazo com a instituição financeira.

Tradicionalmente, os servidores públicos, por terem estabilidade no emprego, pagam juros menores e têm condições mais favoráveis de crédito por terem menor risco de inadimplência. Atualmente, a Caixa tem R$ 43,2 bilhões emprestados para servidores públicos em todo o país.

“Antes reduzimos a taxa de juros dos imóveis, agora estamos oferecendo para os clientes que possuem a menor inadimplência da nossa carteira, o servidor público, condições ainda melhores para a compra do imóvel usado”, declarou o presidente do banco, Nelson Antônio de Souza,

Mudanças de regras

Essa é a segunda alteração no crédito imobiliário da Caixa nos últimos dois meses. Em abril, o banco, que concentra 70% do mercado no setor, reduziu os juros nas linhas para a compra da casa própria com recursos da poupança.

As taxas mínimas do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) – que financia imóveis de até R$ 800 mil na maioria do país e de R$ 950 mil em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e no Distrito Federal – caíram de 10,25% para 9% ao ano. Para o Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), que financia a compra de imóveis acima desse valor, os juros mínimos foram reduzidos de 11,25% para 10% ao ano.

Últimas de Servidor