Demora no pagamento de emendas causou impasse na votação em segundo turno da reforma

Deputados do centrão cobraram do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para que pressionasse o governo na liberação das verbas

Por PALOMA SAVEDRA

Plenário da Câmara dos Deputados
Plenário da Câmara dos Deputados -
Alguns integrantes do serviço público e até deputados ouvidos pela Coluna apostavam na possibilidade de a votação da reforma em segundo turno atrasar na Câmara. O entendimento era de que a demora no pagamento de emendas parlamentares pelo governo federal emperraria a abertura dos trabalhos na casa legislativa.
Essa percepção ficou ainda mais forte depois que deputados do centrão se reuniram nesta terça-feira com o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), cobrando a liberação das verbas. A ideia era de que a falta de garantia dos recursos emperraria a abertura dos trabalhos.
Diante da pressão, o presidente Jair Bolsonaro enviou ao Congresso mensagem pedindo autorização para liberar crédito extra de cerca de R$ 3 bilhões. O texto foi publicado em edição extra do DO da Uniãona tarde desta terça-feira.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários