Educação estadual vai pagar horas extras de professores durante as férias antecipadas

Recesso começou na última segunda-feira como uma das medidas de prevenção ao coronavírus; secretário vai cobrar compensação das aulas no retorno das atividades

Por PALOMA SAVEDRA

Gratificação é paga a cerca de 14 mil professores da rede estadual de Educação
Gratificação é paga a cerca de 14 mil professores da rede estadual de Educação -
A Secretaria Estadual de Educação vai manter o pagamento da GLP (Gratificação por Lotação Prioritária), as horas extras dos professores, nesse período de férias antecipadas devido à pandemia do coronavírus.
Segundo o secretário da pasta, Pedro Fernandes, apesar da suspensão das aulas, os cerca de 14 mil educadores que recebem a gratificação já haviam programado seus orçamentos contando com a gratificação. E, por isso, a pasta decidiu não cortar, mas cobrar a compensação dessas aulas depois que as atividades forem retomadas nas escolas.
"Vamos manter a GLP nesse período. Foi uma situação excepcional, as pessoas já haviam se programado. E, mais à frente, com a volta às aulas, esses professores vão compensar", declarou o titular da pasta.
Fernandes disse ainda que o crédito será feito com recursos orçamentários da própria secretaria, que, hoje, tem 85 mil servidores ativos - sendo a maioria professores. 

Comentários