Laboratório inova na gestão de pessoal do setor público federal

Iniciativa de secretaria do Ministério da Economia busca soluções para melhorar a experiência dos servidores públicos e a prestação de serviços à população

Por PALOMA SAVEDRA

Luana é idealizadora do La-bora!gov; desde janeiro, já foram realizadas palestras, oficinas e mentorias
Luana é idealizadora do La-bora!gov; desde janeiro, já foram realizadas palestras, oficinas e mentorias -

Inovação. Essa é a proposta trazida por servidores federais na busca por melhores experiências no dia a dia em suas funções. E é por meio do 'La-bora! gov', um laboratório idealizado por funcionários públicos, e criado pela Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal (SGP) do Ministério da Economia, que eles colocam 'de pé' essa ideia e encontram soluções para demandas internas.

A iniciativa, que promove a modernização da administração pública, está em desenvolvimento desde janeiro deste ano. Diferentemente de grande parte dos laboratórios de inovação existentes, que têm como foco o usuário cidadão, o La-bora! gov está voltado para o público interno. Ou seja, para os servidores.

O laboratório é formado por funcionários públicos e funciona com a participação ativa deles. Na prática, eles identificam problemas trazidos pelas categorias, trabalham na busca de soluções inovadoras e entregam, com o demandante, uma proposta.

Agora, por exemplo, em meio à pandemia do novo coronavírus, o funcionalismo se vê obrigado a enfrentar novos desafios e mudanças na forma de trabalhar: muitos órgãos foram forçados a adotar o home office.

Diante disso, dificuldades impostas por esse novo cenário também passaram a ser tratadas pelo laboratório, que, em vez de encontros presenciais, tem feito o trabalho de forma virtual.

"Queremos valorizar o trabalho dos servidores, engajá-los, para que eles participem ativamente na solução dos problemas, de forma ágil, criativa e inovadora", explica a secretária-adjunta da SGP, Flávia Goulart.

Ela conta que a ideia partiu de uma servidora da secretaria, Luana Faria, que, ao pesquisar experiências nacionais, internacionais, acadêmicas e do setor privado, sugeriu a criação do laboratório.

Líder do laboratório, Luana ressalta que o 'La-bora' tem como diferencial o engajamento do servidor na busca de respostas para as dificuldades que enfrenta no trabalho.

"A nossa equipe recebe as demandas, apoia na identificação do problema real, desenvolve protótipos e testa as possíveis alternativas. Mas todo esse trabalho é feito junto com os demandantes. Eles têm que trabalhar junto nas soluções dos problemas", detalha.

Legado do próprio funcionalismo

Secretário de Gestão e Desempenho de Pessoal, Wagner Lenhart destaca o fato de a ideia ter partido de uma servidora. "É um dos componentes mais importantes de toda a história do La-bora! gov. É um projeto muito bem construído e não é um legado somente da secretaria, é especialmente dos servidores para os servidores".

Para Luana, a administração pública deve cada vez mais chamar os seus profissionais para fazer parte dos processos de transformação. "As organizações públicas que pretendem inovar não podem perder de vista os parceiros mais importantes no processo, que são os servidores", diz. "O laboratório vai muito no sentido de apoiar os órgãos para a mudança de modelo mental", acrescenta.

Canal de comunicação

O La-bora!gov é para os 600 mil servidores federais do país. entre eles, os 100 mil que estão no Rio. O laboratório já fez 15 eventos (como palestras, oficinas, mentorias e lives), com participação de mais de 600 pessoas de 30 instituições. Demandas podem ser enviadas para sgp.lab@planejamento.gov.br.

Questões variadas

O laboratório está disponível para todos os servidores da administração pública federal e pode ajudar em questões variadas, desde soluções digitais até identificar formas de engajar mais as pessoas no trabalho.

Luana Faria destaca que, quando o profissional encontra um ambiente e uma forma melhor de trabalhar, isso reflete nos serviços que são entregues pelo setor público à sociedade.

Ela acredita que, ao fazer parte da criação das soluções, o servidor se sente estimulado. E, com isso, o resultado é a prestação de um serviço de mais qualidade para a população.

Comentários