Universitário Marcos Winícius foi encontrado morto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense - Arquivo Pessoal
Universitário Marcos Winícius foi encontrado morto, em Nova Iguaçu, na Baixada FluminenseArquivo Pessoal
Por Charles Rodrigues
Publicado 13/10/2020 08:54 | Atualizado há 3 dias
Desaparecido há cinco dias, após sair de um shopping na Zona Sul do Rio de Janeiro, o universitário Marcos Winicius Tomé Coelho de Lima, de 20 anos, foi encontrado morto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O corpo estava no Instituto Médico Legal (IML), aguardando reconhecimento. As buscas ao estudante mobilizaram dezenas de familiares e amigos, nas ruas e redes sociais.

Galeria de Fotos

Corpo do universitário foi encontrado em Nova Iguaçu Arquivo Pessoal
Universitário Marcos Winícius foi encontrado morto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense Arquivo Pessoal
Publicidade
De acordo com policiais militares, o corpo foi encaminhado ao IML após ser encontrado, na manhã da última sexta-feira, na Rua Senador Roberto Kennedy, no bairro Engenho Pequeno, às margens da Rodovia Presidente Dutra, em Nova Iguaçu. As circunstâncias da morte do estudante estão sendo investigadas pela Delegacia de Homicídio da Baixada Fluminense (DHBF). A delegacia deixa à disposição da população o telefone (21) 98596-7442 (whatsapp) e ressalta a importância da colaboração com informações e denúncias, com garantia de total anonimato.
Estudante do curso de Farmácia, na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UFRJ), Marcos Winicius desapareceu, no último dia 8 de outubro, após sair, em sua bicicleta, de um shopping, em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro, onde acabara de participar de um encontro em família. O desaparecimento do estudante teria ocorrido durante o percurso entre o centro comercial até o condomínio, onde mora, na Urca, a cerca de 2 km de distância.
Publicidade
Despedida – Na noite da última quinta-feira, Marcos Winícius informou à família, durante o encontro no shopping, que sairia mais cedo, pois pretendia ir a uma festa com amigos, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. “Na despedida, ele me disse que, antes de seguir para a festa, iria deixar a bicicleta em casa e trocar de roupa. Dali, a nossa família seguiu para uma viagem. Ele não fez mais contato. Os amigos disseram que ele não chegou na festa, contou, emocionada, a comerciante Paula Tomé Coelho Moraes, de 38 anos, mãe do universitário, durante as buscas.
Comoção nas Redes Sociais
Publicidade
A morte do estudante causou forte comoção nas redes sociais, onde Marcos agregava centenas de seguidores. “Só Deus para consolar nossos corações. Mesmo sem chão, eu acredito e confio no Deus que eu sirvo e sei que ele vai me dá forças para suportar essa dor que está destruindo meu coração. Agradeço a todos pelas orações e carinho nesse momento de dor”, postou, a mãe, Paula Tomé, em agradecimento à rede de amigos.
UFRJ divulga nota de pesar
Publicidade
A UFRJ divulgou nesta terça-feira uma nota em que manifesta "profunda consternação" com a confirmação da morte do aluno. "Reiteramos nossa dor e prestamos sinceras condolências à família e aos amigos, aos quais desejamos força e esperança neste momento de profundo abalo", diz a instituição. Natural de Altamira, no Pará, Marcos ingressou na UFRJ no segundo semestre de 2017 e era estudante do curso de Farmácia, vinculado ao Centro de Ciências da Saúde (CCS). 

A reitoria da universidade cobrou por investigações e criticou a violência que assola o Estado do Rio. "A UFRJ se une aos familiares e amigos do estudante neste momento de intensa dor e espera, confiante, que as autoridades policiais tenham êxito nas investigações, que, embora não tragam Marcos de volta, darão resposta à sociedade fluminense que vive, dia após dia, como refém de uma violência que aparentemente não dá tréguas", diz em nota.