Temer pede reforço na segurança aos candidatos após atentado contra Bolsonaro

Presidente também cobrou 'apuração rigorosa dos fatos'

Por Agência Brasil

Temer se reuniu com o ministro da Segurança Pública para falar da segurança dos presidenciáveis
Temer se reuniu com o ministro da Segurança Pública para falar da segurança dos presidenciáveis -

Brasília - O presidente Michel Temer pediu ao ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, reforço da Polícia Federal na segurança dos presidenciáveis. Temer conversou com Jungmann, no início da noite desta quinta-feira, e o assunto foi exatamente o atentado sofrido pelo candidado do PSL, Jair Bolsonaro, na tarde de ontem.

Além de pedir mais segurança aos candidatos, o presidente cobrou "apuração rigorosa dos fatos", segundo a assessoria do Palácio do Planalto. A PF já instaurou inquérito para apurar o ataque sofrido pelo candidato.

O atentado

Jair Bolsonaro foi atingido por uma facada quando fazia campanha em Juiz de Fora (MG). Logo após o atentado, o agressor foi preso pela Polícia Federal. Identificado como Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos, ele foi conduzido por policiais federais para a Delegacia da Polícia Federal em Juiz de Fora, para prestar depoimento.

Antes de ser retirado do local, o suspeito chegou a apanhar de pessoas que acompanhavam o evento. Bolsonaro foi encaminhado para o hospital, onde se submeteu a uma cirurgia.