Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo repudia divulgação do telefone de repórter por dono da Havan

Luciano Hang publicou em seu perfil no Twitter o contato do repórter Ricardo Galhardo, do Estadão. A rede social removeu a postagem por considerá-la abusiva

Por O Dia

Com a divulgação do número, Galhardo passou a receber mensagens agressivas no WhatsApp
Com a divulgação do número, Galhardo passou a receber mensagens agressivas no WhatsApp -

Rio - A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) publicou uma nota de repúdio nesta sexta-feira após o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, divulgar em seu perfil no Twitter o número de celular do repórter Ricardo Galhardo, do Estadão. O empresário tem mais de 56 mil seguidores.

"A Abraji repudia a exposição indevida do telefone do repórter Ricardo Galhardo pelo empresário Luciano Hang. Ações como esta comprometem a liberdade necessária aos jornalistas para fazer perguntas -- especialmente as incômodas. Sem essa liberdade, a democracia definha", diz a nota.

O dono da Havan publicou o contato na sequência de uma postagem em que acusa o jornalista de “querer vincular o envio de mensagens de texto da Havan a clientes com política”: “olha o nível da baixaria!!”, escreveu Hang.

Observando a norma profissional de ouvir todos os lados de uma questão, Galhardo ligou para o empresário para obter declarações sobre a suspeita de que ele contratou envios de mensagens em massa a favor do candidato Jair Bolsonaro (PSL-RJ). “Quando perguntei sobre o assunto, ele me xingou, disse que iria ‘me f***er’ e que iria colocar meu telefone nas redes sociais”, relatou o jornalista.

Com a divulgação do número, Galhardo passou a receber mensagens agressivas no WhatsApp. O departamento jurídico do jornal foi acionado para tomar providências legais. O Twitter removeu a postagem por considerá-la abusiva, uma violação das regras de uso da plataforma.