Presidente da Fórmula 1 é acusado de suborno por Promotoria de Munique

Bernie Ecclestone está sendo investigado na Alemanha

Por rafael.arantes

Alemanha - A promotoria de Munique acusou formalmente de suborno, o chefe da Fórmula 1, o britânico Bernie Ecclestone, por supostos pagamentos de US$ 44 milhões a um diretor do banco público Bayern LB, segundo a agência de notícias alemã "DPA". Após investigação que durou mais de dois anos, a promotoria apontou fortes evidências do envolvimento do dirigente esportivo em pagamentos a Gerhard Gribkowsky, durante o processo de venda da participação acionária do banco na Fórmula 1.

Dirigente está sendo acusado de subornoReuters

O servidor público, antigo diretor do BayernLB, foi condenado em junho do ano passado pelo Tribunal de Munique a oito anos de prisão por suborno, desvio de dinheiro e fraude fiscal. Gribkowsky confessou todos os crimes. Segundo o tribunal, Gribkowsky recebeu em 2006 a incumbência do BayernLB, de vender as ações nas empresas que gerem a Fórmula 1.

Ecclestone queria acabar com a ligação com o banco alemão, com a justificativa de que os parceiros não entendiam de automobilismo, O dirigente conseguiu, com a ajuda de Gribkowsky que o banco alemão vendesse suas ações ao investidor que ele queria: a CVC. O pagamento teria sido feito através de uma fundação no nome da esposa do executivo, via empresas fantasmas em países do Caribe e do Oceano Índico.

Para a condenação de Ecclestone, será crucial que a promotoria consiga provar que o outro envolvido era funcionário do banco, e que como servidor público não poderia receber dinheiro. Para isso, a acusação conta com declarações do chefe da Fórmula 1 contra o Gribkowsky e sua posição de funcionário público. O dirigente esportivo, por sua vez, nega as acusações de suborno, garantindo que foi chantageado pelo diretor do banco.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia