‘Quem é sincero no futebol sempre acaba punido’, desabafa Felipe

Ex-jogador admite que ainda gostaria de estar defendendo o Vasco

Por rafael.arantes


Rio - A despedida dos gramados foi anunciada sem muita emoção. Felipe gostaria de ainda estar defendendo o Vasco, mas a negociação frustrada para seu retorno ao clube antecipou a aposentadoria aos 36 anos. E também o desejo de cobrar logo na Justiça os 12 salários que o clube lhe deve (o acordo judicial não foi não cumprido).

Sabe que merece um bonito jogo de despedida, mas está certo que isso não acontecerá tão cedo. “Edmundo esperou seis anos a festa do Vasco. Sou bem resolvido. Só não podem apagar minha história lá”. O ex-jogador ainda não sabe o caminho a tomar: ser dirigente, comentatista esportivo, técnico ou agente.

Felipe encerrou a carreira neste ano e deve continuar no ramo do esporteVitor Silva / Agência O Dia

FUTURO CARTOLA
Andei conversando com o Edmundo sobre a política do Vasco e no futuro também gostaria de ajudar. Não tenho medo de me queimar, a chance é mínima de isso acontecer com a gente. Mas preciso me preparar bem.

DINAMITE
O maior erro dele é ouvir todo mundo e acabar tomando as decisões erradas. Dinamite não é um cara firme. No episódio com Renê Simões, quando critiquei sua contratação, não era uma coisa pessoal. Apenas achava que o clube precisava de jogadores. Liguei para o presidente, disse que não quis ofender ninguém, ele apertou a minha mão, e, no dia seguinte, eu estava fora por ordem do Renê. O clube caiu para Segundona do Brasileiro e o tempo mostrou que eu tinha razão.No futebol, quem fala a verdade é punido.

SITUAÇÃO DO VASCO
Meu filho, Lucas, de 8 anos, faz futsal no clube. A quadra está ruim. Meninos da categoria sub-9 têm de usar uniforme adulto porque falta material de jogo. A piscina também não está boa. São muitos problemas.

JOGO DE DESPEDIDA
Seria o ideal. Mas se não acontecer, sou bem resolvido com isso. O Edmundo só teve sua despedida seis anos depois. A única coisa que não podem apagar é minha história lá: sou o maior vencedor do Vasco (dois Brasileiros, uma Libertadores, um Carioca, uma Mercosul, um Rio-São Paulo e uma Copa do Brasil).

JUSTIÇA
O clube ainda me deve um ano de salários (quando rompeu seu contrato em dezembro de 2012). Fizemos um acordo judicial que não cumpriram. Como negociava minha volta, deixei a dívida de lado. Mas agora vou em busca dos meus direitos. Dinamite arrumou mais uma dívida para o Vasco. Acho que todo dirigente deveria responder judicialmente por seus atos.

FINAL DO CARIOCA
Sinto que vai dar Vasco pelo fato de não ser campeão estadual há 10 anos. Mas não pode entrar na catimba, vai ter que jogar. Claro que a eliminação do Flamengo na Libertadores tem dois lados: o time se mostrar abalado psicologicamente e se dar mal, ou ganhar moral e querer dar a volta por cima para apagar o vexame e salvar o semestre.

Felipe agora tem mais tempo para se divertir com os filhos Thiago e LucasVitor Silva / Agência O Dia

FRACASSO DO TORNEIO
É um somatório de coisas. Vai da qualidade dos times grandes, do calendário, até o alto preço dos ingressos. Os horários ruins dos jogos são outros fatores para o baixo público nos estádios. Hoje em dia o futebol é muito marketing, tem muita propaganda enganosa. O jogador queima etapa, sai logo do Brasil e isso reflete na saúde financeira dos clubes.

ORGANIZADAS X FRED
É um tema muito complicado, mas o Fred tem razão nessa briga. Membro de organizada não pode receber mordomia que um torcedor normal não tem e ainda tentar agredir ou xingar um jogador. Tem que cortar o apoio, dar castigo, igual a criança que não se comporta bem. Eles não entendem que esse tipo de comportamento só ajuda a afundar o time.

COMENTARISTA ESPORTIVO
Pode ser um bom caminho no futuro. Estou fazendo um curso preparatório para saber me comportar diante das câmeras e aprender falar diretamente para o telespectador. Também tive algumas aulas com uma fonoaudióloga, porque tenho a voz meio rouca e preciso aprender alguns truques.

INSPIRAÇÃO
Se tiver que me inspirar em alguém certamente vai ser no Júnior, um grande comentarista. Ele sabe criticar sem ofender o atleta ou afetar a vida pessoal do jogador. Nunca me importei de receber críticas. Quem sofre é a família. Mas parei de ler jornais e assistir a programas esportivos. Se for mesmo investir na carreira de comentarista, terei de voltar a me interessar.

INDECISÃO
Estou aposentado há pouco tempo e meio em clima de férias. Minha prioridade é brincar com os filhos e participar da vida escolar deles. Também ajudo a administrar meu restaurante japonês (Wasabi) e dois supermercados.

CARREIRA DE TÉCNICO
É uma possibilidade. Recebi proposta do Catar mas não queria sair do Rio agora. Penso em fazer algum curso, mas teria de começar da estaca zero. Mas preciso pensar bem. Outro caminho poderia ser agenciar jogadores.

MELHORES MOMENTOS
No Flamengo, em 2004, fui comparado ao Garrincha pelo meu jeito de driblar. Uma honra para mim. No Vasco, todos os títulos, mas especialmente o Brasileiro de 97, quando eu tinha apenas 19 anos, e a Libertadores, um ano depois. Minha vida está ligada ao clube.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia