Pescador é arrastado no caiaque por 100 m ao fisgar robalo de 8 Kg no Rio

Técnico em telecomunicações realizou sonho

Por pedro.logato

Rio - Rafael Batista, de 34 anos, técnico em telecomunicações — e pescador amador nas horas vagas —, sempre acalentava o sonho de fisgar um peixe grande. Para isso, há cinco anos, trocou as pescarias de pé no chão de praia pela embarcada a bordo de um caiaque. Na semana passada, ele não só realizou o sonho, como viveu aventura radical, ao ser arrastado por mais de 100 metros pelo peixe que fisgou, um robalo-flecha de 8 kg (acima). “Foi adrenalina pura. Fui puxado por quase 10 minutos, tempo que durou a briga para embarcar o bitelão”, exalta o pescador.

A façanha foi na Ilha da Madeira, Costa Verde, no Sul Fluminense, e testemunhada por amigos em caiaque que o acompanhavam — uma exigência de segurança nesse tipo de pesca, segundo Rafael. “É muito importante que pescadores de caiaque saiam sempre em grupo. A gente nunca sabe o que pode acontecer. Desde a pesca de um peixe grande que pode arrastar o pescador por maior distância e tempo, até um mal súbito sofrido por qualquer um”, adverte Rafael. Segundo ele, a prática da pesca em caiaque vem crescendo no Brasil e só no Rio já reúne mais de mil adeptos.

Rafael Batista conseguiu fisgar peixe de 8 kgDivulgação

A pesca de Rafael foi uma boa aventura, mas seu peixe ficou longe do recorde mundial de robalo-flecha, que é de 24,32 kg, segundo a Associação Internacional de Pesca Esportiva (IGFA, na sigla em inglês)De nome científico Centropomus undecimalis, os robalos-flechas adultos podem atingir até 1,4 m e mais de 25kg. Além de artificiais de meia-superfície, a isca natural de camarão vivo também é campeã.

DEFESO 1

A partir desta sexta, estão proibidas, por três meses, as pescas artesanais e amadora de todas as espécies marinhas na Lagoa de Araruama, na Região dos Lagos. O objetivo é combater a pesca predatória, garantir a reprodução das espécies e o aumento dos estoques. A proibição abrange as lagoas de São Pedro d’Aldeia, Iguaba Grande, Figueira, Monte Alto (Arraial do Cabo), lagoa de Praia Seca (Araruama) e Canal Itajuru, em Cabo Frio. A proibição vai até o dia 31 de outubro.

DEFESO 2

Este é o segundo ano seguido que a pesca integral é proibida em todo o complexo lagunar. Até mesmo capturas feitas com puçá de mão de crustáceos como camarões e siris serão proibidas. Agentes das Guardas Municipais dos cinco municípios, Batalhão Ambiental, Ibama, Inea e Marinha vão atuar na fiscalização. Quem for flagrado infringindo a lei poderá sofrer sanções que vão da perda de equipamento, de pescados até multas.

SARDINHA LIBERADA

Começa o defeso na lagoa e termina outro em mar aberto. A partir desta sexta, está liberada a pesca da sardinha- verdadeira (Sardinella brasiliensis) nos estados do sul e sudeste. O defeso de inverno, de 15 de junho a 31 de julho, é para garantir o crescimento do peixe. O próximo, no verão, é de 1º de novembro a 15 de fevereiro, período de reprodução.

CONDIÇÕES DO TEMPO

Ventos de nordeste mantêm o tempo firme no fim de semana no Rio. O mar fica liso, com águas a 19 graus. De Lula Nova, maior variação hoje é de maré alta a 1,2m, às 5h, e baixa a 0.3m, às 12h.

DICAS DE PEIXES

Mestre Canarinho:(99953-8100)

As iscas são sardinha, camarão e lula: Quebra Mar da Barra — corvinota, papa-terra, pampinho e galhudo; Cagarras — marimbá ,jaguriçá, anchoveta e cangulo; Gragoatá/Boa Viagem — corvina, xerelete, papa-terra e guaivira.; Ilhas Pai e Mãe — xerelete, corvina, espada e goete.

Carlinhos Piraúna:

Para pesca desembarcada: Pracinha Niemeyer — anchoveta e marimbá; Arpoador — anchoveta e pampinho; Praia de Copacabana — papa- erra e corvinota; Leme — anchoveta, piranjica, xerelete e marimbá; Pista Claudio Coutinho —marimbá; Murinho da Urca — carapicu e baiacu-arara.

Gilberto Ohoishi: (22-99839-6442)

Para pesca embarcada: em Arraial do Cabo, na Praia Grande — peruá, pargo, xerelete, cavalinha e olho-de-cão; na Ponta do Focinho — maria-mole e castanha; no Saco do Cherne — xerelete, cavalinha, pargo e olho-de-cão; em Cabo Frio, na Praia do Foguete — pescadinha, papa-terra, xerelete, cavalinha e goete.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia