Platini critica Blatter, desiste da Fifa e vai tentar o terceiro mandato na Uefa

Presidente da Uefa diz que falta ao suíço mais 'afinidade' com o futebol e revela que ainda tem 'coisas a fazer' na Europa

Por rodrigo.hang

França - Michel Platini, pela primeira vez, criticou publicamente o presidente da Fifa, Joseph Blatter. O francês, mandatário da Uefa, revelou que não irá mais apoiar o suíço nos pleitos da entidade e disse que uma pessoa que veio do mundo administrativo não deve estar no posto máximo do futebol.

Platini critica Blatter e desiste da candidatura para presidente da FifaReuters

"Blatter vem do mundo administrativo, e eu acredito que não se pode tolerar que alguém que vem deste meio tenha cargos de responsabilidade no futebol. Fez um grande trabalho quando fui seu assessor, e aos poucos deixou de fazê-lo no momento que o deixei. Não vou mais apoiar Blatter, ele deve ir embora", disse Platini em Mônaco, onde será realizado o sorteio da Liga dos Campeões e a entrega do prêmio de melhor jogador da Europa na última temporada. 

Vídeo: Suspenso, Xabi Alonso faz cara feia para Platini ao receber medalha

Platini também garantiu que não vai mais se candidatar a presidência da Fifa no próximo ano. Este era um antigo sonho seu. Ex-jogador, o francês comentou que irá tentar o terceiro mandato à frente da Uefa, principal órgão do futebol europeu.

"As pessoas que gostam de mim querem que eu siga na Uefa, e aqueles que não gostam de Blatter querem que eu vá para a Fifa. Porém eu me apresentarei à reeleição na Uefa dentro de seis meses, porque ainda tenho coisas a fazer aqui. Assim como quando eu jogava, cumpro meus contratos. Quero terminar o que comecei. Estamos trabalhando em projetos muito importantes na Uefa e quero ver o desenvolvimento deles antes de considerar me movimentar para um terreno novo. Não é minha hora (se candidatar à Fifa. Ainda não", afirmou o dirigente, que comentou que muitas pessoas gostariam de vê-lo criticando a Fifa.

Blatter reconhece Copa Rio como título mundial do Palmeiras em 1951

"Sei que alguns esperavam que hoje eu atacasse a Fifa de um jeito ou de outro, mas esta não é minha disposição. Certamente quero que a Fifa funcione melhor, que seja mais transparente, mais solidária, e com maior consideração pelos amantes do futebol. Farei tudo o que puder para contribuir para isso, mas o que interessa agora é só a Uefa", completou.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia