Carol Portaluppi 'invade' gramado e pode complicar o Grêmio

No documento, o árbitro informa que o quarto árbitro e o delegado da partida o avisaram que Renato chamou a filha para entrar no gramado

Por luis.araujo

Porto Alegre - A equipe do Grêmio pode ser punida por uma invasão ao campo ocorrida nos acréscimos da partida contra o Cruzeiro, na Arena do Grêmio. A filha do técnico Renato Portaluppi adentrou o gramado no empate em 0 a 0 com os mineiros, que classificou o Tricolor para a final da Copa do Brasil. Faltavam instantes para o apito final. E o árbitro Thiago Duarte Peixoto relatou o incidente na súmula.

No documento, Peixoto informa que o quarto árbitro, Francisco Neto, e o delegado da partida, Nilson de Souza, o avisaram que Renato chamou a filha para entrar no gramado da Arena antes do apito final. Mas ela sentou no banco de reservas e foi impossível retirá-la antes do apito final – até porque logo depois o árbitro assinalou o fim do jogo, escreveu.

No fim da partida%2C pai e filha comemoraram com um longo abraçoReprodução Instagram / Carolina Portaluppi

O episódio se enquadra no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBDF), que determina multa de R$ 100 a R$ 100 mil para o time que deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir invasão do campo. O clube ainda corre o risco de perder mandos de campo, já que o primeiro parágrafo do artigo estipula a punição se a invasão "for de elevada gravidade ou causar prejuízo ao andamento do evento". A decisão dependerá do quão grave for considerada a ação, já que a filha do treinador não prejudicou o andamento da partida.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia