Reencontro com a Nação fortalece Flamengo para confronto pela Libertadores

Na véspera do duelo com o Santa Fé, Fla leva 45 mil pessoas a treino aberto no Maracanã e cai nos braços da galera

Por HUGO PERRUSO

Que torcida é essa? Diante de 45.977 presentes no Maracanã, os jogadores do Flamengo participam do último treinamento antes de encarar os colombianos do Santa Fé, pela Libertadores
Que torcida é essa? Diante de 45.977 presentes no Maracanã, os jogadores do Flamengo participam do último treinamento antes de encarar os colombianos do Santa Fé, pela Libertadores -

Rio - O Flamengo e sua torcida reviveram os grandes momentos do Maracanã da antiga geral. Ingressos trocados por um quilo de alimento permitiram o acesso de quem vem tendo dificuldades financeiras de ir aos jogos, Quarenta e cinco mil pessoas compareceram, muitas há tempos sem entrar no estádio, e tiveram a oportunidade de assistir e apoiar o time na véspera do duelo com o Santa Fé-COL, pela Libertadores. Como o jogo às 21h45 desta quarta-feira será com portões fechados, resta aos jogadores guardar na memória a imagem da bela festa.

"É mentalizar o momento em que entramos e vimos aquele espetáculo. É difícil jogar sem torcida e nos resta imaginar que vai ter 60 mil pessoas torcendo pela gente. Eles fizeram linda festa e vamos levá-la para o jogo", disse Vinicius Junior, novamente titular.

Com preços populares, a torcida transformou uma terça-feira em domingo. Os rubro-negros encheram trens, metrô e o entorno do Maracanã, que teve a desordem habitual de um dia de grande jogo: ambulantes e cambistas agindo livremente, vendendo ingressos entre R$ 10 e R$ 20. Dentro do estádio, a festa aconteceu após a entrada dos jogadores, com Julio Cesar sendo o mais ovacionado. Mas também houve espaço para protesto, principalmente o pedido por preços mais em conta em uma faixa e no grito: "Baixa o ingresso". E ainda houve cobrança de mais raça.

Mesmo assim, a tônica foi de apoio, com muitos cânticos durante o treino, que durou menos de uma hora. E, no fim, os jogadores reconheceram a bela demonstração de carinho, indo agradecer os torcedores na arquibancada.

Um dos mais experientes, Juan sentiu um clima diferente ontem e lamentou a elitização das torcidas no futebol.

"É difícil, né? Depois da Copa, os estádios viraram de primeiro mundo. Clubes ficam numa encruzilhada de pagar para jogar para colocar o verdadeiro torcedor, o povão, ou cobra mais caro e deixa essas pessoas fora. Eu não entendo muito sobre isso. Outros times têm esse problema. Gostaríamos de ver todo tipo de torcedor no estádio, seria legal ter essa diversidade, mas infelizmente nem sempre isso ocorre", analisou o zagueiro.

ANDRÉS ATACA BANDEIRA

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, acusou o Flamengo de ter tentado contratar Rodriguinho e também oferecido R$ 1 milhão de salário ao técnico Fábio Carille. O mandatário rubro-negro, Eduardo Bandeira de Mello, negou. "Acho um absoluto disparate. Nunca foi feita proposta a nenhum dos dois, muito menos por esses valores. Tem alguém enganando ele (Andrés)".

O próprio técnico corintiano brincou com o caso: "(Receber) R$ 1 milhão por mês? Pego minha mala e tchau! (risos). Não chegou nada para mim, pode ter sido para o meu agente". No início da noite, Sanchez reforçou: "Pergunta ao Lomba (Ricardo, vice de futebol do Fla). Manda ele dizer que não se encontrou com o Paulo Pitombeira (empresário dos dois)".

Comentários