Fla dá primeiro título internacional para a Nação no Maracanã

Rubro-Negro faz 3 a 0 no Independiente del Valle, espanta o Maracanazo e ergue a terceira taça em 11 dias. Gabigol e Gerson (2) fizeram os gols

Por Danillo Pedrosa

Arrascaeta tenta se livrar de um marcador: meia uruguaio não fez 
bom jogo
Arrascaeta tenta se livrar de um marcador: meia uruguaio não fez bom jogo -

Exterminador de tabus, Jorge Jesus exorcizou o fantasma que assolava os rubro-negros: o Maracanazo. Após muitas decepções diante da Nação, o Flamengo bateu o Independiente del Valle-EQU por 3 a 0 e conquistou a Recopa Sul-Americana, seu primeiro título internacional no Maracanã. Gabigol e Gerson (2) garantiram a terceira conquista da equipe em apenas 11 dias, após faturar a Supercopa do Brasil e a Taça Guanabara.

Apesar das glórias em 2019, a tristeza das derrotas para o Independiente-ARG nas finais da Supercopa da Libertadores de 1995 e da Copa Sul-Americana de 2017, no Maraca, atormentavam os rubro-negros. Mas o time de Jorge Jesus não se curva a tabus. Até ontem o Botafogo era o único clube carioca com um título internacional no estádio — a Conmebol de 1993 —, mas o Flamengo quebrou a escrita.

Logo aos 18 minutos, Segovia tentou recuar para o goleiro e acertou o travessão. A bola sobrou para Gabigol fazer 1 a 0. Tudo parecia caminhar para mais uma vitória tranquila, até que, aos 20, Willian Arão entrou de sola em Caicedo e foi expulso. A euforia deu lugar à tensão dos quase 70 mil presentes. Substituindo Bruno Henrique, lesionado, Pedro deixou o campo para a entrada de Thiago Maia.

O Flamengo acusou o golpe. Com um jogador a mais, o time equatoriano tirou os donos da casa da zona de conforto, mas o Rubro-Negro criou as melhores chances. Após lançamento de Everton Ribeiro, Gabigol fez fila na entrada da área e parou em grande defesa do goleiro.

Ciente da difícil missão de segurar o resultado, a torcida assumiu o protagonismo na etapa final. Sem parar de cantar, incendiou o jogo. O Flamengo retomou o controle das ações e, após ótima jogada de Gabigol, Gerson ampliou o placar, aos 16. Aos 37, Cabeza foi expulso ao solar Léo Pereira. Aos gritos de "É campeão", Gabigol lançou Vitinho, que serviu Gerson para marcar o seu segundo gol na partida, aos 43, e exorcizar o fantasma do Maracanazo.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Arrascaeta tenta se livrar de um marcador: meia uruguaio não fez bom jogo Luciano Belford
Craque do jogo, Gabigol festeja o primeiro do Fla: artilheiro fez o sexto gol em seis jogos Daniel Castelo Branco / Agencia O Dia

Comentários